DOL Carajás
Edição do dia
Edição do dia
Leia a edição completa grátis
Previsão do Tempo
29°
cotação atual R$
DENÚNCIA ANÔNIMA

Acusado de atropelar Maykon Douglas é soldado do Exército

Suspeito de ter atropelado Maycon Douglas Santos Souza, o "Maykinho" se apresentou na noite desta terça (30) na delegacia com o veículo do acidente

quarta-feira, 01/12/2021, 11:32 - Atualizado em 01/12/2021, 14:57 - Autor: Michel Garcia

Google News

O veículo, um Chevrolet Ônix, cor branca, placa QWT-2358, foi encontrado após denúncia anônima recebida pela polícia de que o veículo estaria em uma oficina em Morada Nova
O veículo, um Chevrolet Ônix, cor branca, placa QWT-2358, foi encontrado após denúncia anônima recebida pela polícia de que o veículo estaria em uma oficina em Morada Nova | Elioenay Brasil/RBATV

Denúncia anônima ajudou a Polícia a encontrar o carro branco e o autor do atropelamento que vitimou Maycon Douglas Santos Souza, o ex atleta do Águia de Marabá "Maykinho" em um acidente na noite do último dia 14 de novembro, ocasião em que um automóvel o atropelou em um cruzamento do Bairro Quilômetro 7, na Nova Marabá.

Ele seguia pilotando uma motocicleta para realizar mais uma entrega de pizza na noite de domingo, trabalho que realizava atualmente, quando por volta de 21h50, às proximidades do Posto de Saúde Mariana Morais, um automóvel Onix, em alta velocidade, invadiu a preferencial. Maykinho chegou a ser hospitalizado, mas faleceu no dia 25 no Hospital Regional.

O veículo, um Chevrolet Ônix, cor branca, placa QWT-2358, foi encontrado após denúncia anônima recebida pela polícia de que o veículo estaria em uma oficina em Morada Nova. A oficina seria de Antônio Francisco Silva de Sousa padrasto de Alisson Henrique Ferreira Braz, acusado de ser o motorista que vitimou Maykon Douglas. O acusado é soldado do Exército Brasileiro e seria lotado na 23ª Brigada de Infantaria de Selva de Marabá, Belog e o veículo estaria na oficina possivelmente para conserto dos locais batidos resultantes do acidente.

 

Veículo foi apresentado na 21ª Delegacia de Polícia Civil em Marabá
Veículo foi apresentado na 21ª Delegacia de Polícia Civil em Marabá | Elioenay Brasil/RBATV
 

De acordo com o delegado Lênio Duarte da delegacia de Itupiranga, que também participou das diligências e investigações, o DP de Morada Nova através do Sargento Moraes recebeu uma denúncia anônima informando onde estaria o veículo Ônix envolvido no acidente. "O sargento então procurou a oficina e lá informaram que o proprietário seria um senhor de nome Antônio Francisco. Sargento Moraes procurou então seu Antônio Frasncisco que confirmou que o veículo era realmente dele e que tinha deixado para fazer os reparos, mas que quem estava dirigindo o veículo era o enteado dele de prenome Alisson", explicou.

Veja também:

Polícia busca por carro que atropelou motoboy em Marabá

Familiares de motoboy fazem oração em frente a hospital

Motoboy não resiste e falece no Hospital Regional de Marabá

Francisco e Alisson foram até a delegacia, fizeram a apresentação do veículo e do próprio acusado. Foram ouvidos preliminarmente os envolvidos assim como a guarnição que fez a primeira abordagem.

Alisson Henrique Ferreira Braz é soldado 23ª Brigada de Infantaria de Selva. "Estamos oficiando ao comandante deste Batalhão para que faça a apresentação dele a fim de cumprir as formalidades legais. O veículo será periciado pelo CPC Renato Chaves para fazer o levantamento legal, a fim de apresentar ao Ministério Público para acontecer o julgamento", explicou o delegado. 

Delegado Lênio Duarte ainda salientou que é bem provável que Alisson Henrique Ferreira seja indiciado não pelo atropelamento, mas sim por não prestar socorro à vítima, principalmente pelos amassados no veículo mostrarem que a moto foi quem bateu no carro e não o contrário.

Será feito também um levantamento no local do evento para se verificar a situação de quem realmente tinha a preferência. "Isso porque os danos no veículo foram todos na lateral do motorista, então foi trocada as duas portas e mais o pára-lamas dianteiro, então a situação posta é essa", disse o delegado. "Mas somente o responsável pelas investigações, no caso o delegado Pedro Marinho, é que vai definir com a equipe a linha de investigação e denúncia", pontuou. (Com apoio de Elvan do Vale e Elioenay Brasil)


Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)