Diário Online
Edição do dia
Edição do dia
Leia a edição completa grátis
Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$
PROTEJA-SE

Donovanose: DST “comedora de carne” preocupa médicos

Rara infecção sexualmente transmissível está recebendo atenção na Europa, após aumento de casos no Reino Unido

sábado, 06/11/2021, 22:42 - Atualizado em 06/11/2021, 22:42 - Autor: Com informações do Ministério da Saúde e da agência Deutsche Welle

Google News

A donovanose causa úlceras e cicatrizes nos órgãos genitais
A donovanose causa úlceras e cicatrizes nos órgãos genitais | Freepik

A donovanose é uma infecção sexualmente transmissível (IST) crônica progressiva, causada pela bactéria Klebsiella granulomatis. Afeta principalmente a pele e mucosas da genitália, virilha e ânus, causando úlceras e destruindo a pele infectada. É pouco frequente, ocorrendo na maioria das vezes em climas tropicais e subtropicais, em países como Brasil, Índia, Vietnã e nas regiões centro e norte da Austrália.

Cinco perguntas sobre o "fungo preto" que mutila pacientes

No entanto, alguns médicos no Reino Unido estão alertando que a donovanose está se espalhando no país, com casos aumentando. Em 2019, foram registrados 30 casos nas terras da rainha Elizabeth.

A transmissão ocorre pelo sexo desprotegido com uma pessoa infectada. Por isso, o Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis do Ministério Da Saúde recomenda, sempre, o uso da camisinha.

Sinais e sintomas

Após o contágio, aparece uma lesão que se transforma em ferida ou caroço vermelho. Não dói e não tem íngua.

A ferida vermelha sangra fácil, pode atingir grandes áreas e comprometer a pele ao redor, facilitando a infecção por outras bactérias.

Diagnóstico e tratamento

Na presença de qualquer sinal ou sintoma dessas IST, recomenda-se procurar um serviço de saúde para o diagnóstico correto e indicação do tratamento com antibiótico adequado.

Ao término do tratamento, é necessário retorno à consulta, para avaliação de cura da infecção. Deve-se evitar contato sexual até que os sinais e sintomas tenham desaparecido e o tratamento seja finalizado.

Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)
MAISACESSADAS