Diário Online
Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$
Dança da Bandida

Mulher fardada dançando no TikTok pode não ser PM

No vídeo em que ela aparece rebolando é possível identificar nome masculino no uniforme

sexta-feira, 09/07/2021, 17:40 - Atualizado em 10/07/2021, 17:00 - Autor: DOL


Vídeo da dancinha viralizou na sexta-feira (9) e neste sábado começou a circular o detalhe do nome masculino no fardamento que ela exibe
Vídeo da dancinha viralizou na sexta-feira (9) e neste sábado começou a circular o detalhe do nome masculino no fardamento que ela exibe | Reprodução / Redes Sociais

O TikTok é um aplicativo de mídia em que o usuário pode criar e compartilhar vídeos curtos, que tenham entre 15 segundos e 1 minuto. São diversas as dancinhas que animam o público.

Entre eles está a “Dancinha da Bandinha”, que foi criada com a música “Bom dia” de Nego Jhá. “Ola, bom dia, Bom dia... Me diz que eu sou um erro, mas quer errar todo dia. Bom dia, bom dia, em homem você senta e em homem não se confia”, diz a música.

Viralizou na última semana um mulher que seria uma possível sargento da Polícia Militar do Pará fazendo a dança. Nas imagens, é possível ver a mulher com o uniforme completo da PM, aparentemente em uma residência.

Porém, as investigações mostram que o dono do uniforme seria um homem, identificado como Jair, o que aparece escrito na farda. Chegou a circular nas redes sociais na manhã deste sábado, 10, que ele seria um policial militar do município de Novo Repartimento, o que ainda não foi confirmado, muito menos a relação da mulher com o tal Jair e como ela teria tido acesso ao fardamento. 

“Estamos instaurando um Inquérito Policial Militar para descobrir quem é o dono do uniforme, além de abrir um conselho de disciplina em desfavor do sargento”, disse em entrevista ao DOL o promotor Armando Brasil.

A Polícia Militar também enviou nota: "A Polícia Militar informa que o Centro de Inteligência (CI) está realizando o levantamento da denúncia. As informações colhidas serão encaminhadas para a Corregedoria-Geral da Corporação, que é o órgão competente para apuração de condutas que se desviam da ética e disciplina policial militar".

Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)
MAISACESSADAS