Diário Online
Edição do dia
Edição do dia
Leia a edição completa grátis
Previsão do Tempo
25°
cotação atual R$
PROGRAMA "OBESIDADE ZERO"

Pará fecha abril com realização de 50 cirurgias bariátricas

Iniciativa conta com mais de seis mil pessoas em atendimento, cadastradas e em diferentes etapas do processo ofertado pelo “Obesidade Zero”

terça-feira, 10/05/2022, 17:37 - Atualizado em 10/05/2022, 17:36 - Autor: Agência Pará

Google News

Paciente em consulta para a realizaçãao da cirurgia.
Paciente em consulta para a realizaçãao da cirurgia. | Bruno Cecim / Ag. Pará

Abril de 2022 é considerado o mês com maior número de cirurgias bariátricas realizadas no estado do Pará por meio do programa “Obesidade Zero”. Realizado pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), ele iniciou as atividades em setembro de 2020 e objetiva viabilizar, de forma ágil, o acesso gratuito para os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) que necessitem da intervenção, fazendo parte do programa “Fila Zero”, do Governo do Estado, que visa desafogar o sistema de saúde. 

Um total de 50 bariátricas foi realizado no mês passado. A organização do projeto define que irá trabalhar com essa meta mensal a partir de agora. Anteriormente, o número era de 40 cirurgias.  

A intervenção é uma das principais alternativas de combate à obesidade de grau 3, e trata-se de uma gastroplastia, redução do tamanho do estômago, que aliada a outras medidas, gera a redução de peso necessária do paciente.  

O cirurgião bariátrico Carlos Armando Santos, coordenador do projeto, credita o êxito do programa aos esforços da Sespa e do Hospital Jean Bitar, onde são realizadas as cirurgias. Segundo o médico, ambas as entidades permitem que a equipe do “Obesidade Zero” realize o trabalho de forma eficiente. 

“Avalio o 'Obesidade Zero' como um grande sucesso de iniciativa de saúde. Conseguimos oferecer qualidade de vida a muitas pessoas que precisavam deste acompanhamento para tratar de sua saúde. Espero que sirva de modelo para outros estados seguirem por todo o país”, declarou. 

Redução nas filas

O secretário de Saúde do estado, Rômulo Rodovalho, avalia o impacto da iniciativa para a saúde pública no estado e para as pessoas que necessitam em específico desse atendimento, que demanda o emprego de recursos. Atualmente, mais de seis mil pessoas estão cadastradas, em atendimento e em diferentes etapas do processo ofertado pelo "Obesidade Zero".  

“Reduzir filas de atendimento para intervenções de alta complexidade é um desafio que depende do bom funcionamento de todas as entidades envolvidas, além da dedicação dos profissionais. O ‘Obesidade Zero’ é um sucesso graças às parcerias acordadas e ao empenho de todas as partes”, afirmou. 

 

| Bruno Cecim / Ag. Pará
  

Ainda que a agilidade da viabilização de cirurgias seja uma meta do programa, é importante destacar que todas as pessoas que se cadastram no “Obesidade Zero” passam por um processo de avaliação e atendimento por uma equipe multidisciplinar de médicos e outros profissionais da saúde para certificar que a intervenção cirúrgica é o tratamento adequado para cada caso. Com o devido acompanhamento da equipe do programa, alguns pacientes podem também atingir a perda de peso almejada sem a necessidade de cirurgia.  

Com parte de sua estrutura, o programa proporciona o acompanhamento necessário para que o processo pós-operatório dos pacientes seja adequado e com resultados proveitosos, já que grande parte do sucesso da cirurgia passa pela mudança de comportamento após a intervenção. Atualmente, o programa conta com mais de seis mil pessoas cadastradas e em diferentes etapas do processo ofertado pelo “Obesidade Zero”.  

Devem buscar o Obesidade Zero todas as pessoas que possuam Índice de Massa Corporal (IMC) acima dos 40 kg/m2 ou aquelas que possuam entre 35 kg/m2 e 40 kg/m2 com alguma das doenças relacionadas à obesidade, como diabetes, hipertensão arterial, gordura no fígado ou colesterol alto. 

Para mais informações, acesse o site do programa.

/Paciente em consulta para a realizaçãao da cirurgia.
Paciente em consulta para a realizaçãao da cirurgia. | Bruno Cecim / Ag. Pará
Paciente em consulta para a realizaçãao da cirurgia. | Bruno Cecim / Ag. Pará
Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)
MAISACESSADAS