Diário Online
Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
28°
cotação atual R$
TRANSPORTE

Tá difícil conseguir corrida de app? O DOL conferiu. Veja

Passageiros reclamam da demora para conseguir corridas. Motoristas reclamam que valores repassados pelas plataformas são baixos e que é preciso escolher as corridas que compensem financeiramente

sexta-feira, 06/08/2021, 16:15 - Atualizado em 06/08/2021, 18:45 - Autor: Augusto Rodrigues


Motoristas ouvidos pelo DOL dizem que rejeitam corridas com trajetos mais longos, sobretudo com destino à Avenida Augusto Montenegro
Motoristas ouvidos pelo DOL dizem que rejeitam corridas com trajetos mais longos, sobretudo com destino à Avenida Augusto Montenegro | Gabriel Caldas

“Tá mto difícil conseguir carro!”. “Esperei 1 hora o Uber e desisti! Pq vc não paga o motorista melhor”. “Tá uma luta conseguir uma corrida heim!”. “1 hora pra arrumar um carro e ainda acham que estão fazendo um bom serviço”.

Essas são reclamações deixadas por usuários nas redes sociais da Uber, principal aplicativo de transporte de passageiros. Enquanto passageiros reclamam da demora para conseguir algum motorista que aceite a corrida, os motoristas reclamam dos valores baixos que recebem das plataformas, que mal conseguem compensar os gastos com combustível e manutenção do veículo.

O DOL foi às ruas para saber se está mesmo difícil conseguir fazer uma corrida de app. Solicitamos uma corrida, partindo do prédio da RBA, na Avenida Almirante Barroso, com destino à Estação das Docas. A viagem, solicitada às 11h34, foi prontamente aceita pelo motorista Itamor Cruz, de 36 anos. O motorista levou 21 minutos para chegar até o local de partida.

Segundo Itamor, que é mecânico e trabalha como motorista de aplicativos há oito meses, corridas longas não compensam financeiramente para os motoristas devido aos engarrafamentos, combinados com os altos preços dos combustíveis e as baixas tarifas pagas pelas plataformas. Ele confirma que não aceita corridas com longos trajetos, para evitar prejuízos. “Corridas, por exemplo daqui [bairro do Marco] para a Augusto Montenegro eu não faço. Porque, às vezes dá R$ 10, R$ 11. Com esse trânsito aí, não compensa porque às vezes não dá pra tirar nem o da gasolina. Não é que a gente não queira ir, mas se você for ver, não compensa”.

Opinião semelhante tem o motorista Jean Carlos Barbosa, de 41 anos, que também trabalha como vigilante. Ele levou 34 minutos para chegar até o local de partida, dessa vez na avenida Duque de Caxias, após a solicitação da equipe do DOL – o motorista estava finalizando outra viagem.

Assim como o seu colega de profissão, Jean também disse que evita corridas com grandes distâncias, sobretudo com destino à Avenida Augusto Montenegro. “Com certeza, tá havendo essa escolha de corridas, por isso tá havendo essa demora. Por causa de combustível caro, manutenção do carro. Às vezes a corrida é longe e não vale a pena tu pegares uma corrida. Enquanto tu podes fazer um percurso pequeno, que tu faz duas daquelas, num percurso melhor pra ti. Sair daqui da Lomas pra Icoaraci por R$ 19, R$ 15, isso seria uma corrida ruim pra mim”.

O DOL entrou em contato com as assessorias de imprensa das empresas de transporte por aplicativo.

Por nota, a 99 informou que "neste ano, houve aumento do uso do aplicativo pela Classe C e retorno da locomoção das Classes A/B, que deixaram de fazer home office em período integral" e "isso pode ocasionar maior tempo de espera na plataforma". A empresa ainda afirma que realiza ações para equalizar oferta e demanda, como garantir mais de R$ 2,5 milhões em desconto em postos de combustível, datas em que "as taxas aplicadas nas corridas são zeradas, ou seja, 100% do valor é repassado ao motorista parceiro" e outras ações "financiadas pelo aplicativo, sem custos para os motoristas". A 99 também afirma que "já foram mais de R$ 150 milhões destinados, desde abril de 2020, em ações para apoiar quem usou o aplicativo".

Já a Uber afirmou que busca equilibrar as necessidades de motoristas parceiros e consumidores "tendo em vista o equilíbrio entre oferta e demanda que é fundamental para a plataforma", mas que "com a pandemia, pessoas que antes não usavam a Uber no dia a dia agora estão optando pelo app", conforme apresentado em uma pesquisa feita pelo Datafolha.

"Esse contexto de alta demanda por viagens vem se acentuando nas últimas semanas, conforme o avanço da campanha de vacinação e a reabertura progressiva de atividades comerciais pelas autoridades. Nesse sentido, os usuários estão tendo de esperar mais tempo por uma viagem porque, especialmente nos horários de pico, há mais chamados do que parceiros dispostos a realizar viagens", segue a nota. "A demanda elevada significa que o app da Uber está tocando sem parar para os parceiros, situação em que eles relatam se sentirem mais confortáveis para recusar viagens, pois sabem que virão outros chamados na sequência, possivelmente com ganhos maiores".

Em relação à experiência dos usuários, a Uber afirma que entre as medidas que "adota para reduzir o tempo de espera estão o preço dinâmico e as promoções para motoristas parceiros", que "por um lado, faz alguns usuários adiarem as suas viagens à espera de um preço menor e, por outro, incentiva que mais motoristas parceiros se desloquem para atender uma determinada região".

Assista às entrevistas com motoristas de aplicativos:

   


Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)
MAISACESSADAS