Diário Online
_
_

Oficina metalúrgica vira espaço cultural em Belém

quinta-feira, 05/02/2015, 08:23 - Atualizado em 05/02/2015, 11:38 - Autor:

Google News

Nos últimos 79 anos, a Oficina Santa Terezinha, que fica na Cidade Velha, funcionou como uma metalúrgica, fazendo fundições, soldagens, usinagem, manutenção de máquinas e outros serviços que atendem ao parque fabril paraense. A partir de hoje, a empresa fundada em 1936 passa a ser mais do que uma fábrica: se torna uma espaço capaz de agregar artistas, em especial os que transformam metal em obras de arte.


Uma exposição coletiva marca a integração do termo “espaço cultural” ao nome da oficina, com a finalidade de incentivar a arte produzida em Belém e promover intercâmbio com produtores de todas as nacionalidades que se interessarem em participar dessa iniciativa. “Esse lugar vem amadurecendo como espaço cultural ao longo dos anos. O (Francisco) Del Tetto Jr, que é filho do dono, o seu Chico, como artista já havia explorado esse espaço utilizando os conhecimentos técnicos do local e os aplicando em suas obras. Conheci a oficina em 2009 Com o tempo percebemos que a oficina tem esse potencial e testamos isso ao longo do projeto Circular Campina, quando mostramos o espaço dessa forma ao público pela primeira vez, e tivemos um retorno muito bom, o que nos deu certeza que transformá-lo em um espaço fixo de cultura seria um bom caminho”, diz Elaine Arruda, uma das organizadoras do espaço.


Para celebrar esse momento eles reuniram um time de peso e muito conhecimento artístico para expor suas obras e preencher a oficina de arte. Além de Del Tetto Jr. e da própria Elaine Arruda, também Éder Oliveira, Rodrigo José, Elisa Arruda, Débora Oliveira, Coletivo Pitiú, Kauê Lima, Bode, Diogo Vianna, Armando Sobral, PP Condurú, Guy Veloso, Keyla Sobral, Luís Júnior e Starllone Souza propuseram trabalhos em videomapping, fotografia, desenho, gravura, intervenção, performance e pintura. A Roda de Choro, do grupo Café com Leite, com Carla Cabral, Diego Santos, Marcelo Ramos e Rafaela Bittencourt, promove a música, enquanto a gastronomia ficará com a sanduicheria The Nine, inspirada na culinária amazônica.


“Será um evento onde reuniremos artistas que trarão obras de temas que têm, de alguma forma, relação com o espaço, ou que evoquem esse lugar. Teremos desde trabalhos novos até coisas que já tínhamos em acervo. Depois disso o local está aberto à proposições de artistas de todas as áreas. A ideia é integrar as linguagens”, afirma Elaine, e completa: “Vejo como uma forma de agradecer ao Seu Chico pelo apoio, e aos funcionários da oficina pela convivência e troca de experiências”. 


A exposição é apenas o primeiro evento e os organizadores querem que o local seja um espaço também para a população, que terá acesso gratuito. “Para um futuro breve já queremos ter uma exposição permanente e eventos mensais, com oficinas e workshops. Além disso planejamos projetos com crianças e comunidade local, transformando esse espaço marginalizado”, planeja Elaine, que pensa em futuramente lançar editais de residência artística e trazer artistas de outros lugares do Brasil para trabalhar no local.


CONHEÇA


Inauguração Oficina Santa Terezinha Espaço Cultural.
Quando: Hoje, às 19h
Onde: Rua São Boaventura, 127 – Porto do Sal na Cidade Velha


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS