DOL Carajás
Edição do dia
Edição do dia
Leia a edição completa grátis
Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$
ALERTA

Março Lilás: Mês de prevenção do Câncer de Colo do Útero 

Em Marabá, haverá atendimento noturno para coleta do PCCU

quarta-feira, 02/03/2022, 17:42 - Atualizado em 03/03/2022, 08:52 - Autor: Com Informações PMM

Google News

Mês de combate ao câncer de colo uterino
Mês de combate ao câncer de colo uterino | Reprodução

O mês de março marca um período de atenção especial à saúde da mulher. A campanha Março Lilás tem como objetivo, conscientizar a população sobre a prevenção e combate ao câncer de colo uterino.

O câncer de colo de útero é o terceiro tumor maligno mais frequente na população feminina, e a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil. É causado pela infecção persistente por alguns tipos do Papilomavírus Humano (HPV). 

Em Marabá, sudeste do estado, o Centro de Referência Integrada à Saúde da Mulher (Crismu) realizará entre os dias 14 a 25 de março, uma programação especial, com atendimentos noturnos para a coleta do PCCU (Exame Preventivo de Colo de Útero).

 

Crismu vai realizará atendimento à noite para as mulheres
Crismu vai realizará atendimento à noite para as mulheres | Aline Nascimento / PMM
 

O PCCU é uma das melhores formas de monitorar a saúde do útero. A coleta é feita nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) por uma enfermeira e a amostra é analisada no Crismu. Para realizar o exame é preciso alguns cuidados básicos, como explica a enfermeira Keise Helaine Pinto.

“Quando a mulher vier fazer o exame, ela precisa estar a 72 horas, ou seja, 3 dias sem manter relação sexual, mesmo com uso do preservativo, sem fazer higiene com ducha, nenhum uso de medicação anticoncepcional injetável via vaginal, ou ainda, uso de cremes para não contaminar a lâmina e atrapalhar a avaliação”, pontua a enfermeira.

Ainda de acordo com a enfermeira, os dias propícios para a coleta do exame são dez dias antes do próximo ciclo menstrual, assim, o ideal é entre o décimo e o vigésimo dia, para todas as mulheres em atividade sexual ativa. “O Ministério da Saúde pede que o exame seja feito entre 25 e 64 anos, que é onde temos as maiores taxas de câncer nesse órgão. Mas após um ano de atividade sexual, nós já recomendamos que faça, pois já pode ter entrado em contato com o HPV, vírus do câncer”, alerta.

 

“Dar esse resultado não é fácil", afirma a ginecologista Hilomi Seguchi
“Dar esse resultado não é fácil", afirma a ginecologista Hilomi Seguchi | Aline Nascimento / PMM
 

Hilomi Seguchi, ginecologista do centro, todos os dias atende mulheres que apresentam alterações nos exames, algumas já com o diagnóstico de câncer. “Dar esse resultado não é fácil. Dar a notícia de que a pessoa tem câncer. A gente vai com cuidado, mas fala. Não sou de esconder, se eu tenho certeza já falo logo para a pessoa se preocupar. Muitas vezes, elas não são orientadas, às vezes, pegam o resultado do exame e não dão valor e ficam enrolando, enquanto fica cada vez pior e se torna incurável”, enfatiza.

Hilomi diz que a maior parte das mulheres com esse diagnóstico estão acima dos 50 anos, mas ela também já atendeu, por exemplo, jovens de 28 anos. “Paciente começa a vida sexual muito precoce, múltiplos parceiros, não se cuida, não faz o exame de prevenção, não procura ginecologista, não faz uso da vacina, que já tem para crianças e daí acaba evoluindo para o câncer”, pontua.

Prevenção

Além do PCCU, o uso do preservativo e a vacina contra o HPV (Papilomavírus Humano) é uma das maneiras mais seguras para se proteger contra o câncer do colo de útero.  Esta vacina é aplicada na forma de injeção e é oferecida gratuitamente pelo SUS para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos. O SUS também oferece a vacina do HPV para mulheres de 9 a 45 anos e meninos de 9 a 26 anos que tenham HIV ou AIDS ou ainda que receberam transplante de órgãos, de medula óssea e pessoas em tratamento contra o câncer. No entanto, nesses casos é necessário a apresentação de receita médica.

Tratamento na rede municipal

Na rede municipal de saúde, o atendimento inicia na UBS com a coleta do PCCU. Lembrando que cada UBS tem a sua própria dinâmica. No prazo agendado, a mulher deve buscar o resultado, que sai entre 20 a 30 dias. O exame é lido pela enfermeira da UBS. Se houver alteração no exame, a profissional já encaminha a paciente para o Crismu, onde o atendimento é feito por especialista em ginecologia.  

Veja também:

CTA registra mais de 200 novos casos de HIV em 2021 

Marabá fará busca ativa para vacinar crianças contra Covid 

Geralmente, no Crismu, é realizado o exame de colposcopia, para avaliar o trato genital inferior feminino: a vulva, a vagina e o colo de útero. Então é feita uma biópsia, e, dependendo do resultado, a paciente pode ser encaminhada para o tratamento no município, no Hospital Municipal de Marabá.

Sintomas

Pacientes com sangramento ou hemorragia durante a relação sexual não é considerado normal. No entanto, na maioria das vezes, não há sintomas e quando a mulher percebe já está com o câncer desenvolvido. “Por isso, o exame chama-se preventivo para que possamos fazer o tratamento e não chegar nesse estágio de câncer”, alerta a médica ginecologista.  


Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)