DOL Carajás
Cidades / Marabá
DIA MUNDIAL DO RIM

Confira 6 dicas para prevenir doenças renais

Hospital Regional de Marabá dá dicas de prevenção sobre doenças renais, que atingem 1 em cada 10 adultos

quinta-feira, 10/03/2022, 08:40 - Atualizado em 10/03/2022, 11:49 - Autor: DOL Carajás com informações de Ascom Pró Saúde

Google News

O paciente, João Adison, durante sessão de hemodiálise no Hospital Regional do Baixo Amazonas
O paciente, João Adison, durante sessão de hemodiálise no Hospital Regional do Baixo Amazonas | Divulgação

A doença renal crônica (DRC) se caracteriza pela lesão irreversível nos rins, mantida por três meses ou mais, afetando uma em cada 10 pessoas no mundo e com taxas crescentes de acometimento na população. Quando diagnosticada de forma precoce, sua progressão pode ser controlada ou retardada, na maior parte dos casos. 

Porém, em geral, a DRC não provoca sintomas significativos ou específicos nos estágios iniciais, fazendo com que seja fundamental o conhecimento sobre a doença, seus principais fatores de risco (como hipertensão arterial e diabetes mellitus) e exames simples de rastreamento diagnóstico (creatinina sérica e exame de urina).

Na semana em que é celebrado o Dia Mundial do Rim (10), o Hospital Regional do Sudeste do Pará - Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá no sudeste paraense, alerta para os perigos de doenças renais e dá dicas de prevenção.

A unidade, que pertence ao Governo do Estado e é gerenciada pela Pró-Saúde, é referência para mais de um milhão de pessoas de 22 municípios da região, e possui um moderno Centro de Hemodiálise, com máquinas de diálise, salas de observação, e consultórios ambulatoriais.

Segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN) um em cada dez adultos sofrem com problemas renais no mundo, e mais de 140 mil pessoas fazem diálise no país.

 

Hospital Regional de Marabá dispõe de ala específica para o tratamento de doenças renais
Hospital Regional de Marabá dispõe de ala específica para o tratamento de doenças renais | Divulgação
 

Para a médica Ivellyn Pereira Nunes, nefrologista no HRSP, a doença renal geralmente é silenciosa, não dando sinais ou sintomas, sobretudo no início, por isso é fundamental a prevenção.

“Sintomas como perda de apetite, inchaço nos pés, pernas ou rosto, cansaço, anemia, pressão alta, e urina com espuma escura, podem ser sinais da doença. É importante sempre consultar um especialista para o diagnóstico correto", enfatiza a nefrologista.

A especialista explica que os rins filtram os produtos tóxicos que resultam da atividade celular, possuindo uma função reguladora, que contribui para a manutenção adequada de algumas substâncias existentes no sangue, como a água e os sais minerais, além de contribuir na regulação da pressão arterial e na produção de hormônios.

“A doença renal crônica é causada principalmente por enfermidades como diabetes, hipertensão arterial, e aquelas próprias dos rins, como as glomerulopatias”, ressalta Ivellyn.

Para evitar doenças renais, a especialista da 6 dicas simples de prevenção:

Praticar exercícios físicos regularmente;

Evitar o excesso de sal, carne vermelha e gorduras;

Controlar o peso corporal, colesterol, glicose e pressão arterial;

Não fumar e não abusar de bebida alcoólica;

Ingerir água regularmente, e ter cuidado com quadros de desidratação;

Realizar, uma vez por ano, exames laboratoriais para avaliar a saúde dos rins: dosagem de creatinina no sangue e análise de urina.

Humanização

A venezuelana Betzabeth Yurima, de 54 anos, é paciente renal crônica. Morando no Brasil há três anos, na cidade de Jacundá, ela realiza há um ano tratamento médico no Hospital Regional do Sudeste do Pará.

"A vida de um paciente renal não é fácil, venho três vezes na semana ao hospital e fico mais de três horas em uma poltrona fazendo hemodiálise. O que me conforta, é saber que sou sempre bem acolhida e tratada com dignidade", conta a paciente.

Betzabeth destaca ainda diferenciais no atendimento do Regional. "Aqui temos um crachá de identificação, que dá prioridade de acesso a emergência do hospital, refeições balanceadas e atendimentos psicossociais, coisas que não vi em outras unidades de saúde".

 

A venezuelana Betzabeth Yurima é paciente renal crônica. Morando no Brasil há três anos, em Jacundá, ela realiza há um ano tratamento médico no Hospital Regional.
A venezuelana Betzabeth Yurima é paciente renal crônica. Morando no Brasil há três anos, em Jacundá, ela realiza há um ano tratamento médico no Hospital Regional. | Divulgação
 

De acordo com Ana Thais, psicóloga do HRSP, o atendimento humanizado, estreita e solidifica a relação com os pacientes. “A humanização contribui no processo de adaptação e adesão ao tratamento. Os pacientes respondem melhor aos procedimentos clínicos e terapêuticos, e se mantêm com a saúde mental em dia", reforça.

A Hemodiálise é o procedimento onde uma máquina filtra e limpa o sangue, executando parte do trabalho que o rim doente não pode fazer. Neste processo, são retirados do corpo os resíduos prejudiciais à saúde, como o excesso de sal e de líquidos.

"Atendemos cerca de 80 pacientes, que diariamente se deslocam de vários municípios da região, para realizar tratamento na instituição. Somos referência no interior do Pará, devido a qualidade das nossas dependências e do serviço de excelência prestado a sociedade", ressalta James Vinicius, enfermeiro nefrologista do Hospital Regional de Marabá.


Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS