plus
plus

Edição do dia

Leia a edição completa grátis
Edição do Dia
Previsão do Tempo 25°
cotação atual R$


home
HISTÓRIA DE FILME

Você não vai acreditar onde homem foi achado após 26 anos!

Homem desaparecido há 26 anos na Argélia é encontrado vivo, mantido refém em sótão de vizinho. Caso segue sob investigação.

twitter Google News
Imagem ilustrativa da notícia Você não vai acreditar onde homem foi achado após 26 anos! camera Vítima foi sequestrada em 1998 | Reprodução

Viver o luto da dúvida é tão doloroso quanto a certeza da morte de um parente. Conviver com a ausência provocada pelo desaparecimento de um ente querido é uma mistura de saudade e angústia.

Um homem considerado desaparecido há 26 anos, na Argélia, foi encontrado vivo, na semana passada. Omar Bin Omran, hoje com 45 anos, estava escondido no sótão de um vizinho, na cidade de El Guedid, onde foi mantido refém por mais de duas décadas. O suspeito, de 61 anos, que não teve o nome divulgado, tentou fugir, mas foi preso.

A vítima foi achada embaixo de um palheiro no último domingo (12). Uma denúncia anônima alertou as autoridades de que ela era mantida aprisionada pelo idoso no porão da residência, localizada a cerca de 200 metros da casa dela. Na ocasião, o suspeito tentou escapar, mas foi capturado pelos agentes de segurança. As informações são da BBC.

Omar Bin Omran estava desaparecido há 26 anos
📷 Omar Bin Omran estava desaparecido há 26 anos |Reprodução

VEJA TAMBÉM:

Omar Bin Omran desapareceu em 1998, mesmo período em que a Argélia vivia um conflito, que perdurou por uma década, entre o governo e grupos islâmicos. A família dele temia que ele estivesse entre os milhares de mortos e desaparecidos deixados pela guerra.

Nas redes sociais, um irmão de Omar Bin Omran disse que o suposto sequestro foi motivado por uma disputa por herança. Conforme a imprensa local, a mãe deles faleceu em 2013 sem saber que a vítima estava viva.

Segundo as autoridades, o caso continua em investigação e o homem está recebendo cuidados médicos e psicológicos. Um porta-voz do Ministério Público classificou o crime como "atroz".

tags

Quer receber mais notícias como essa?

Cadastre seu email e comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)

plus

    Mais em Mundo

    Leia mais notícias de Mundo. Clique aqui!

    Últimas Notícias