DOL Carajás
Edição do dia
Edição do dia
Leia a edição completa grátis
Previsão do Tempo
22°
cotação atual R$
ONDE ESTÁ ISABELA?

Polícia tenta montar quebra-cabeça para localizar menina   

A garota teria entrado em contato com uma pessoa no domingo, depois não deu mais notícias

sexta-feira, 13/05/2022, 19:30 - Atualizado em 13/05/2022, 19:29 - Autor: Alessandra Gonçalves

Google News

Isabela Mendes, com a mãe Gleiciane
Isabela Mendes, com a mãe Gleiciane | Reprodução

A Polícia Civil tenta montar o quebra-cabeça para tentar localizar a menina Isabela Lima Mendes, de 10 anos, que encontra-se desaparecida. 

A mãe dela, Gleiciane Lima Rabelo Amaral, de 32 anos, foi morta com golpes de marreta na cabeça. O corpo da mulher foi encontrado na última quarta-feira (11), na casa onde ela morava com a filha e o padrasto da menina.  

O autor do crime teria sido o próprio companheiro, Eliezer Almeida Amaral, de 30 anos, que se jogou embaixo de uma carreta no Km 6, na Nova Marabá. 

 

Eliezer teria matado a esposa e depois se jogou embaixo de carreta
Eliezer teria matado a esposa e depois se jogou embaixo de carreta | Reprodução
 

De acordo com o superintendente de Polícia Civil, delegado Vinícius Cardoso, Isabela teria entrado em contato com uma pessoa no domingo, depois não deu mais notícias. A partir de agora, a polícia tenta refazer o percurso praticado por Eliezer, utilizando recurso tecnológico de monitoramento da placa do veículo.  

A polícia acredita que Gleiciane Lima foi assassinada pelo marido na noite de domingo (8), Dia das Mães. O corpo dela foi encontrado na sala da casa, onde a família morava na Folha 16, na Nova Marabá.    

SEM TRABALHAR 

Ainda de acordo com o delegado, Eliezer estava há mais de 20 dias sem trabalhar. Era ele quem estava levando a enteada na escola. “As pessoas interpretavam que ele estava de férias. Mas, nos últimos 10 dias, a menina não estava mais indo para escola e estudava de casa”, contou. 

 

Menina estava 10 dias sem ir a escola
Menina estava 10 dias sem ir a escola | Reprodução
 

Domingo foi o último dia que Isabela manteve contato. “Está descartada a hipótese dela está na casa de algum parente dele ou da mãe dela, pois já entramos em contato com eles”, afirmou. 

Após o crime, na tarde de segunda-feira (9), Eliezer se hospedou sozinho em um hotel na Nova Marabá. Horas após encontrarem o corpo da mulher dele, ele se jogou embaixo de uma carreta. “Estamos tratando como um feminicídio seguido de suicídio”, informou Vinícius Cardoso.  

A Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros realizaram buscas na casa onde a família morava, inclusive em uma cisterna no quintal para tentar encontrar a menina. Buscas também foram feitas em uma grota na Folha 16, mas nada foi encontrado. 

MAR DE ROSAS 

Após saber do desaparecimento da filha, Ademar Souza Mendes, pai de Isabela Lima Mendes, que mora em Parauapebas, veio para Marabá, onde prestou depoimento e está acompanhando as buscas. 

Ele conta que Gleiciane e Isabela moravam com Eliezer há cerca de três anos e meio. O casal residia em Parauapebas, mas há dois anos veio para Marabá. Eliezer trabalhava como técnico da justiça eleitoral e não tinha parentes aqui.

Veja também:

Filha de mãe morta pelo companheiro está desaparecida

Polícia diz que criança desaparecida não foi localizada

Sobre o relacionamento da ex com o companheiro dela, Ademar Souza disse que era impecável. “Era um relacionamento de amor e carinho, minha filha era bem tratada, parecia uma princesa. Eu vi de perto isso aí, convivi isso de perto, é uma coisa que não dá para entender. O relacionamento deles também era um mar de rosas, até onde a gente sabe”, ponderou o operador de máquinas pesadas. 

CAMPANHA 

Uma campanha está sendo realizada pela comunidade com o objetivo de ajudar na localização de Isabela Mendes. O Disque Denúncia divulgou um cartaz de desaparecido. As informações recebidas estão sendo checadas. 

 

Quem tiver informações sobre o paradeiro da menina pode entrar em contato com o Disque Denúncia do Sudeste do Pará
Quem tiver informações sobre o paradeiro da menina pode entrar em contato com o Disque Denúncia do Sudeste do Pará | Reprodução
 

Qualquer informação pode ser repassada para o fone (94) 3312-3350 ou WhatsApp (94) 98198-3350. 




Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)