Diário Online
Comercial
BENEFICENTE PORTUGUESA

O que você precisa saber sobre cirurgia bariátrica

Saúde e bem estar passa por procedimentos como ajuda da família e tratamento adequado no pré e pós-cirurgia

sexta-feira, 13/05/2022, 15:10 - Atualizado em 13/05/2022, 17:22 - Autor: Conteúdo de Marca

Google News

Primeiro passo é reconhecer o momento que a cirurgia é necessária
Primeiro passo é reconhecer o momento que a cirurgia é necessária | Divulgação

A cirurgia bariátrica e metabólica é também conhecida como cirurgia da obesidade ou popularmente chamada de redução de estômago. Ela reúne técnicas com respaldo científico, destinadas ao tratamento da obesidade mórbida e/ou obesidade grave e das doenças associadas ao excesso de gordura corporal ou agravadas por ele.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), nas Américas está a mais alta prevalência de obesidade onde cerca de 30% da população adulta está obesa. 

A cirurgia bariátrica é considerada uma alternativa para controlar o peso e as enfermidades a ele associadas, mas os médicos são categóricos quanto ao fato de que a técnica não cura a doença, não é isenta de risco e nem é milagrosa. 

No Pará, estado o qual o IBGE e o Ministério da Saúde apontam que 20% dos homens e 22% das mulheres são obesos, o médico cirurgião Luiz Cláudio Chaves, do Complexo Hospitalar da Beneficente Portuguesa, esclarece sobre o assunto alertando que cada pessoa pode ficar alerta ao próprio Índice de Massa Corporal (IMC) que indica e classifica a condição de cada pessoa se abaixo do peso, normal, sobrepeso, obesidade ou obesidade grave.

Para isso basta fazer o cálculo e seguir a tabela abaixo para saber a sua classificação.

Como calcular o IMC?   

O peso dividido pela altura ao quadrado indica o Índice de Massa Corporal
O peso dividido pela altura ao quadrado indica o Índice de Massa Corporal | Reprodução
  

Tabela de Classificação   

Após o cálculo do IMC verifique a sua classificação
Após o cálculo do IMC verifique a sua classificação | Reprodução

Diante de dados oficiais, o médico alerta para os elevados números de pessoas no Estado do Pará que precisam da cirurgia bariátrica.

"Pessoas com IMC com mais de 40 corresponde de meio a 1% da população paraense, isso significa que para o estado que está chegando a 9 milhões de habitantes, 45 mil a 90 mil pessoas estão com obesidade mórbida e precisando de cirurgia bariátrica", informa o cirurgião.

Quem pode fazer a cirurgia bariátrica?

O procedimento não é dos mais fáceis e por isso é regulamentado pelo Conselho Federal de Medicina e pelo Ministério da Saúde. Como citado anteriormente não se trata de um milagre e nem mesmo da cura contra a obesidade. Assim, foi preciso definir quem pode fazer a cirurgia.

"Formalmente, segundo o CFM há três indicações possíveis: paciente com IMC igual ou maior que 40 quilos por metro quadrado, acompanhado de intratabilidade clínica; paciente com IMC igual ou maior do que 35 quilos por metros quadrados, acompanhado de intratabilidade clínica acompanhados por comorbidades que são doenças agravadas ou desencadeadas por outras, no caso pela obesidade e paciente com IMC igual ou superior a 30 quilos por metros quadrados e diabetes tipo 2 a pelo menos cinco anos", diz Luiz Cláudio Chaves.

   

Luiz Cláudio Chaves, médico especialista em cirurgia bariátrica
Luiz Cláudio Chaves, médico especialista em cirurgia bariátrica | Divulgação
 

O médico reforça também que a cirurgia bariátrica é a melhor opção para os obesos mórbidos em todo o mundo. No entanto, alerta que é possível ganhar peso mesmo após de se ter feito o procedimento.

"A obesidade, assim como a diabete tipo 2, são doenças crônicas e portanto sujeitas a controle clínico. O paciente tem que ter a compreensão da doença e a necessidade de mudanças para hábitos alimentares e físicos saudáveis. O acompanhamento pela equipe de cirurgia bariátrica a médio e longo prazo é a chave para o sucesso do controle permanente do peso", detalha o cirurgião.

A PARTIR DE QUE IDADE?

Em relação a idade para fazer a cirurgia, o Conselho de Medicina recomenda a partir dos 16 anos, sem que haja limite para idade superior, dependendo das condições clínicas do paciente.

O pós cirurgia é outro fator que deve ser visto pelo paciente e isso depende muito do acompanhamento e da ajuda dos médicos e dos familiares, salienta o cirurgião Luiz Cláudio Chaves.

"Fisioterapia e apoio de outros profissionais da equipe multidisciplinar são fundamentais após a cirurgia bariátrica e cada caso deve ser individualizado para se definir o que cada um precisa, seja pelo psicólogo e o acompanhamento nutricional por longo prazo é importantíssimo. A adesão da família é importante para o sucesso do bem estar do paciente, entender as diferentes fases da evolução do paciente pós cirurgia é fundamental para a boa evolução. A família deve ser orientada das diferentes etapas", ressalta.

SERVIÇO:

Complexo Hospitalar da Beneficente Portuguesa

Central de Agendamentos: (91) 3215-4444

Unidade Hospital São João de Deus

Rua Boaventura da Silva, 895

Unidade Hospital D. Luiz I

Av. Generalíssimo Deodoro, 868

Redes Sociais: @beneficenteportuguesa

Site: www.beneficenteportuguesa.com.br


0 Comentário(s)
    Exibir mais comentários