Diário Online
ORI KUARE NAKAKITANE

Mostra de vídeos de índios venezuelanos estreia em Belém

Ori Kuare Nakakitane quer dizer “estamos unidos” em Warao

quinta-feira, 24/03/2022, 21:54 - Atualizado em 24/03/2022, 21:53 - Autor: Divulgação

Google News

Jovem se diverte durante gravação de um dos vídeos.
Jovem se diverte durante gravação de um dos vídeos. | Divulgação

No próximo dia 25 (sexta-feira), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e a Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA) realizam a Mostra dos vídeos produzidos por jovens comunicadores do projeto Ori Kuare Nakakitane – Estamos Unidos. O evento será às 10h, no auditório da Secretaria de Estado de Comunicação do Pará (Tv Visconde de Inhaúma, 1629). 

A Mostra reúne 24 pocket vídeos produzidos pelos jovens mobilizadores do projeto de saúde, nutrição, água, saneamento e hygiene voltado a migrantes e refugiados indígenas Warao. Durante o projeto, 24 indígenas Warao, entre eles sete monitores e 16 mobilizadores participaram de formações em temas como alimentação saudável, saúde mental, prevenção à COVID, Tuberculose e HIV/aids, hygiene menstrual, entre outros. As oficinas tiveram o apoio das Secretarias Municipais de Saúde de Belém e de Ananindeua.

Desses mobilizadores, oito jovens, sendo quatro meninos e quatro meninas, atuaram na elaboração dos vídeos desde os roteiros, filmagem em tablets adquiridos pelo projeto até locução dos vídeos. Antes da produção, eles passaram por oficina de formação nos temas abordados e incluindo oficina de educomunicação.

Foram seis meses de trabalho com esses mobilizadores, que receberam ajuda de custo para atuar no projeto, e também apoiaram a equipe ADRA nas rodas de conversa entre pares, avaliações nutricionais e de saúde, etc. Eles próprios optaram em falar em espanhol, havendo apenas uma locução em Warao que foi escolha do narrador. 

O nome do projeto também foi escolhido por eles. Ori Kuare Nakakitane quer dizer “estamos unidos” em Warao e simboliza a união de esforços de brasileiros e venezuelanos para a garantia dos direitos do povo Warao, sobretudo crianças e adolescentes.

Após o lançamento, os vídeos serão disseminados por WhatsApp, serão publicados na página do UNICEF no Youtube e serão compartilhados com organizações e municípios que atuam com a atenção a população refugiada e migrante como uma ferramenta de disseminação de informação protetiva, que facilite o acesso a serviços e direitos.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS