LITERATURA

Você está bem? Priscila Zoghbi questiona na coluna da semana

Ela fala sobre o livro “Talvez Você Deva Conversar Com Alguém”, da terapeuta Lori Gottlieb

sexta-feira, 14/05/2021, 10:01 - Atualizado em 14/05/2021, 10:14 - Autor: Priscila Zoghbi


Imagem ilustrativa da notícia: Você
está bem? Priscila Zoghbi questiona na coluna da semana
| Freepik

 Se você está pensando que a capa amarela com a caixa de lencinhos prevê uma leitura rasa e que segue os modelos prontos e criticados de autoajuda, você vai ter uma grande surpresa ao ler “Talvez você devesse conversar com alguém”, da autora Lori Gottlieb publicado pela editora Vestígio. Ou ainda, se você possui certa relutância em fazer terapia, ou mesmo conversar com alguém, talvez a leitura desse livro possa te fornecer um olhar mais gentil para o tema.

Leia a coluna de Priscila Zoghbi publicada no Diário do Pará

O livro não conta apenas da experiência da autora como terapeuta (o que por si só já valeria a leitura), mas também o momento e as sensações que ela tem quando se vê do outro lado da mesa, ou melhor, do divã. Apesar de abrirmos o livro já sabendo da profissão e do sucesso de Lori como terapeuta, com o passar das páginas seu personagem se torna cada vez mais humano, ou seja, a cada parágrafo Lori se torna mais “gente como a gente”.

Lori Gottlieb não teve uma trajetória profissional linear: foi roteirista em Hollywood, estudante de medicina e, por fim, terapeuta e escritora. Acompanhamos ainda Lori atravessar outros dilemas – tão comuns a nós mesmos e que, por isso, nos aproxima da autora: o fim de um relacionamento amoroso, a culpabilização, as fases do luto pelo término, além de gerenciar uma crise amorosa com seu trabalho e a criação de seu filho.

 

|
 


Em razão do término a autora decide iniciar uma terapia, sem antes apresentar certa relutância. É nesse momento que o livro demonstra grande parte da riqueza que o consagrou como um Best Seller segundo o jornal The New York Times: Lori nos ensina de forma extremamente didática e acessível alguns princípios básicos da terapia, desmistificando o processo terapêutico para os que não são da área. Lori não se coloca como autora de um livro academicista, ou em uma posição superior de terapeuta - o que dificultaria a leitura para muitos de nós. Muito pelo contrário, ao longo das mais de 400 páginas, a autora mostra seu lado mais humano: expõe suas fragilidades, medos e dilemas. Ela nos possibilita acompanhar de perto suas sessões de terapia e todos os sentimentos que a perpassaram durante o período.

Muito mais do que um conjunto de diagnósticos e histórias de pacientes, o livro torna-se um híbrido entre um diário pessoal e profissional. Para tornar ainda mais interessante, a autora opta por intercalar em capítulos a história de seus pacientes (que se frise foram escolhidos com extremo cuidado) e a sua própria. Com isso Lori consegue manter a leveza mesmo tratando de assuntos densos e delicados como os abordados em sessões de terapia.

A leitura da obra se torna ainda de leitura fundamental em um contexto que só o que temos são incertezas. É indiscutível que pandemia ocasionada pelo Coronavírus abalou grande parte da saúde mental dos brasileiros. De acordo com o Ministério de Saúde, são diferentes as formas de reação que as pessoas apresentam em situações de estresse. Essas diferenças estão intimamente relacionadas com a idade, as condições de saúde, histórico familiar, entre outros. Como formas de auxiliar ou aumentar o bem-estar durante esse período o Ministério da Saúde apresenta como dicas: quando possível, planejar uma rotina mesmo que dentro de casa,realizar atividades relaxantes como ouvir música, assistir filmes e ler livros

No entanto é imprescindível frisar que para além da leitura de livros como, por exemplo, o “Talvez você devesse conversar com alguém”, em alguns casos é fundamental o acompanhamento com um profissional habilitado como um psicólogo ou psiquiatra. Além disso é possível obter atendimento de forma gratuita e de forma virtual:  a Universidade Federal do Pará, por exemplo, oferece atendimento psicológico através da Clínica Psicológica Virtual da UFPA, desde que cumprido os requisitos e com horário marcado. Outra forma de obter atendimento gratuito é mandar um email para a Clínica dePsicologia (CLIPSI) da Universidade da Amazônia ([email protected]).

Afinal, como fica bem claro com a leitura do “Talvez você devesse conversar com alguém” nenhum aspecto da saúde, seja física ou mental, deve ser vista como Tabu ou colocada em segundo plano. Cuide de você e de quem você ama!

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS