Diário Online
PREMIAÇÃO NACIONAL

Escritores paraenses são indicados a Prêmio Jabuti

O Prêmio Jabuti é o maior da Literatura brasileira. Na edição de 2021, a santarena Monique Malcher, com o livro "Flor de gume", foi indicada para a categoria contos. Já o belenense Daniel Munduruku teve indicação de três livros nas categorias Infantil e Juvenil. O prêmio

terça-feira, 09/11/2021, 15:51 - Atualizado em 09/11/2021, 15:52 - Autor: Redação


A santarena Monique Malcher e o belenense Daniel Munduruku: indicação ao Jabuti
A santarena Monique Malcher e o belenense Daniel Munduruku: indicação ao Jabuti | Reprodução

Tem representante do Pará no maior prêmio de Literatura Brasileira, o concorrido Jabuti, promovido pela Câmara Brasileira do Livro. Desta vez, são dois os paraenses que concorrem como finalistas na premiação de 2021. A escritora santarena Monque Malcher, com o livro “Flor de Gume”, e Daniel Munduruku, que este ano foi recomendado ao prêmio em três categorias.

Daniel está indicado na categoria infantil com os livros “A origem dos Filhos do Estrondo do Trovão: uma história do povo Tariana”, de co-autoria com Rosinha, e com “Redondeza”, escrito junto com Roberta Asse. Ele também concorre na categoria Juvenil com “Crônicas indígenas para rir e refletir na escola”. O autor tem 54 anos e nasceu em Belém do Pará.

Daniel é pertencente ao povo indígena Munduruku e já publicou mais de 50 livros no Brasil e no exterior, a maioria classificados como literatura infanto-juvenil e paradidáticos. Ele é graduado em Filosofia, História e Psicologia. Tem Mestrado e Doutorado em Educação pela USP - Universidade de São Paulo e Pós-Doutorado em Linguística pela Universidade Federal de São Carlos - UFSCar.

Monique Malcher é nascida em Santarém e concorre com a obra de 37 contos. O livro é descrito como uma “prosa poética intensa” com cenários e personagens paraenses, trazendo histórias de mulheres. “Monique Malcher escreve o crescimento das mulheres resistentes. Desenha linhas de vidas que, sabemos, muitas vezes quase foram interrompidas; mas abre suas mãos e nos mostra uma transformação: a flor corajosa que se defende, reage, ataca.” Jarid Arraes, escritora e editora de Flor de Gume.

No Twitter, Monique comemorou a indicação:

Uma nova lista, com cinco finalistas, será revelada no dia 16. A cerimônia de premiação será no dia 25, novamente online por causa da pandemia, com transmissão pelo canal da Câmara Brasileira do Livro no YouTube. O escritor Ignácio de Loyola Brandão, imortal da Academia Brasileira de Letras, será homenageado como a Personalidade Literária do Jabuti.

Durante a cerimônia serão anunciados os vencedores de cada uma das categorias e também o Livro do Ano. Ganha o Livro do Ano a obra com a maior not

 

A santarena Monique Malcher e o belenense Daniel Munduruku: indicação ao Jabuti
A santarena Monique Malcher e o belenense Daniel Munduruku: indicação ao Jabuti | Reprodução
 

a atribuída pelo júri entre os vencedores das categorias dos eixos Literatura e Não Ficção. Se houver empate, o prêmio de 100 mil é dividido. Em 2020, a poeta Cida Pedrosa foi a vencedora, com Solo Para Vialejo.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS