Diário Online
REDES SOCIAIS

Famosos lamentam recordes no número de mortos por Covid

Os artistas começaram a compartilhar mensagens positivas nas redes sociais e duras críticas ao presidente Jair Bolsonaro

sábado, 06/03/2021, 09:00 - Atualizado em 06/03/2021, 09:00 - Autor: FOLHAPRESS


Imagem ilustrativa da notícia: Famosos lamentam recordes no número de mortos por Covid
| Reprodução

Com o Brasil batendo recordes no número de mortos por Covid em uma semana, famosos começaram a compartilhar mensagens positivas nas redes sociais e duras críticas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O Brasil registrou 1.760 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 262.948 mortos e 10.871.843 casos, desde o início da pandemia.

A atriz Paolla Oliveira publicou um vídeo antigo do programa "Amor e Sexo", apresentado por Fernanda Lima. No vídeo, a apresentadora pergunta ao pastor Henrique Vieira qual é a oração da felicidade.

Ao lado da publicação, ela marcou o pastor e escreveu que é importante pensar, ser e fazer o bem. "É tão importante pensar o bem, ser o bem, fazer o bem. Palavras movem montanhas e que num momento onde precisamos de tanto conforto, as palavras do pastor Henrique Vieira possam nos inspirar. Amém, axé, amor".

O ator Eduardo Moscovis postou o desenho de um jovem chorando feito pelo artista plástico Felipe Morozini com a frase: "O que sinto, sinto grande. O que chora molha tudo". Ao lado da imagem, ele escreveu: "Uma semana especialmente dura, sofrida, choro sim. E muito Felipe Morozini, sou seu fã. Obrigado por tanto".

A atriz Carol Castro comentou a postagem do ator dizendo que está tentando vibrar luz. " To na mesma. tentando vibrar luz porque a sombra tá dominando mas não vai, não vai !", escreveu.

A atriz Júlia Lemmertz publicou um vídeo que fala que no Brasil de Bolsonaro todo dia é dia de preço alto. "Liquidação total do Brasil inteiro! Todo dia é dia de preço alto com o Bolsonaro", escreveu a atriz. O mesmo vídeo foi publicado pela jornalista Astrid Fontenelle com a mensagem: "Vacina urgente! Esse pesadelo sem fim vai acabar. Mas por enquanto como li outro dia na [jornalista] Rosana [Hermann], tem túnel, tem fim mas não temos luz".

A colunista da Folha de S.Paulo Tati Bernardi publicou a foto de um artigo dela publicado jornal sobre a pandemia, acompanhado de um trecho do texto.

"Mar de gente agonizando, mar de gente morta, mar de corpos, mar de negacionistas, mar de assassinos, mar de pessoas odiosas que jamais imaginei que pudessem ser tantas, mar de porcentagem de gente horrível que ainda dá "ótimo" ou "bom" para aquele desgraçado, mar de panelas que não servem pra nada", publicou.

O ator Tuca Andrada postou uma imagem com o globo terrestre com a frase "SOS Mundo, venham nos salvar!". Ele escreveu: "Estamos nas mãos de um genocida e sua quadrilha". Ele já recebeu ameaças nas redes sociais após postar críticas contra o presidente.

NÚMERO DE MORTOS

O Brasil registrou 1.760 mortes pela Covid-19. Nesta sexta (5), o país completou sete dias seguidos de recordes na média móvel de óbitos pela doença. O novo maior valor da média agora é de 1.423. O recorde anterior era de 1.361.

Dessa forma, o país completa 44 dias com média móvel de mortes acima de 1.000.

O número de óbitos registrados nesta sexta é o terceiro maior valor diário de toda a pandemia.

Como tem ocorrido, o elevado número de mortes é acompanhado por altas taxas de contaminação. Os últimos três dias fazem parte do ranking de datas nas quais foram registradas mais casos da Covid. Nesta sexta, foram 75.337 casos, no dia 3 foram 74.376 e no dia 4 foram 74.285.

O dia 8 de janeiro, com 84.977 infecções, ainda lidera o ranking, mas nele ocorreu uma revisão de dados do Paraná que elevou artificialmente o dado geral de casos do país.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS