Diário Online
VIOLÊNCIA SEXUAL

"Ele parou de introduzir porque chorei", diz cantora que acusa MC Lan de estupro

Jhacy relata que precisava de emprego e MC prometeu lhe ajudar. Cantora alega que possivelmente foi dopada na casa de Lan.

terça-feira, 09/03/2021, 11:12 - Atualizado em 09/03/2021, 11:12 - Autor: Com informações de IG


Imagem ilustrativa da notícia: "Ele parou de introduzir porque chorei", diz cantora que acusa MC Lan de estupro
| Reprodução

Jhacy França, cantora e modelo, que acusa MC Lan de estupro , relatou recentemente os supostos terrores que viveu durante uma visita à residência do funkeiro.

Segundo França, ela foi à casa do artista conversar sobre uma oportunidade de emprego. "Eu precisava de um trabalho e ele disse que iria me ajudar. Ele chamou um uber e eu fui até a casa dele", disse ao Uol.

Chegando no local,  Lan teria lhe oferecido maconha. Após recusar a droga ilícita, a modelo teria aceitado uma bebida com álcool. Em um certo momento, Jhacy conta que se afastou do copo para ir ao banheiro e, na volta, quando ingeriu a bebida novamente começou a passar mal.  

"Fiquei com o coração que parecia que ia sair pela boca. Fiquei com a boca seca, querendo morder as coisas. Por isso não estou conseguindo falar direito, minha boca está toda machucada de tanto que eu mordi", relatou. 

"Parecia que eu ia ter um infarto. Eu estava meio desorientada, e ele se aproveitou da situação. Houve, então, o ato sexual. Ele não usou preservativo. Eu falei: 'Não faz isso. Meu intuito não era ficar com você. Para, não faz isso. Para, para'. Eu comecei a gritar, e ele se irritou... aí chamou um uber para me levar para casa", lembrou a cantora.

Questionada se Lan a agredia ou falava algo durante o ato, França foi sucinta. "Ele não falava nada, ele continuava. Ele estava louco, bem louco. Ele parou porque eu comecei a chorar. Não desejo para ninguém o estado que eu fiquei".

Jhacy França registrou um boletim de ocorrência no domingo (07), no 49º DP, na zona leste de São Paulo. A modelo alega que fez exames de corpo de delito para provar a violência sexual e diz que tomou pílula do dia seguinte, visto que a relação não teve preservativo. 

"Fiquei com medo de denunciar, de acontecer alguma coisa comigo. Ele sabe o meu endereço, estou assustada e com medo. Mas eu tenho que falar a verdade. Pode ter acontecido com outras antes de mim. Eu não sei", pontuou. 


Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS