Diário Online
Esporte / Esporte Brasil
NEGÓCIOS NO FUTEBOL

Times de divisões de acesso viram clube-empresa

Além de Cruzeiro e Botafogo, há outros clubes das divisões de acesso (Séries B, C, D e sem divisão) que também viraram SAF ou estão muito perto disso

sábado, 01/01/2022, 19:19 - Atualizado em 01/01/2022, 19:19 - Autor: Com informações Última Divisão


Recentemente o Cruzeiro ganhou grande destaque na mídia por ter virado SAF (Sociedade Anônima de Futebol), o novo formato de clube-empresa, que foi comprado por Ronaldo Fenômeno. Quem também teve sua compra aunciada foi o Botafogo-RJ. Além dos dois, há outros clubes das divisões de acesso (Séries B, C, D e sem divisão) que também viraram SAF ou estão muito perto disso.

Já abriram SAF e venderam

Cruzeiro: está na Série B, então entra nessa lista. O clube vendeu 90% da SAF para o Ronaldo e está no processo de transição.

Athletic Club: o time de São João del Rei foi comprado pela V2 Participações, dos empresários Vinícius Diniz e Victor Felipe Oliveira. Eles ficaram com 49% de participação no controle do clube. E já falam de transformar o Athletic na 4ª força do estado em 5 anos. O investimento prometido é de R$ 50 milhões em 10 anos, com construção de um CT até 2023 e modernização do estádio. Roger, aquele centroavante que passou por vários clubes brasileiros, é o técnico do Athletic atualmente. Danilinho, aquele ex-Atlético-MG, foi contratado e tá no Mercadão Alternativo, claro.

Sertãozinho: tudo indica que o Touro dos Canaviais já virou clube-empresa e tem novos donos. Um deles é Galeano, aquele ex-volante do Palmeiras. Só não ficou claro se o time virou SA (Sociedade Anônima comum) ou SAF (Sociedade Anônima de Futebol), que traz mais benefícios atualmente, principalmente em relação às dívidas. Aguardamos um posicionamento do clube para esclarecer melhor essa e outras questões.

Aprovaram a criação da SAF e ainda não venderam

Chapecoense: Os conselheiros aprovaram com unanimidade a transição do modelo de gestão para a SAF. A ideia pinta como esperança após a pior campanha na história da Série A por pontos corridos. Mas o clube-empresa ainda não foi vendido para investidores. A intenção é negociar até 95% da SAF.

Noroeste: O Conselho também já aprovou a criação da SAF, que deve acontecer em janeiro de 2022. Ficou definido que a gestão será feita inicialmente pelo empresário Reinaldo Mandaliti, mas ainda é preciso buscar investidores.

Figueirense: o Conselho Deliberativo aprovou a constituição de SAF, mas falta definir detalhes do projeto para depois encontrar investidores.

Gama: aguarda apenas a emissão do novo CNPJ para finalizar o processo de migração. O clube já negocia com investidores e parece estar se modernizando.

Joinville: ainda falta encontrar investidores. Mas um modelo de clube-empresa foi criado nos últimos meses.

Moto Club: o Conselho Deliberativo já aprovou a criação da SAF, mas ainda fará novas reuniões para detalhar como esse processo acontecerá.

Paulista: um dia o Paulista já foi clube-empresa. Rendeu frutos. Mas depois veio uma crise enorme. Agora, na última divisão paulista, o clube já aprovou um novo estatuto, criou a SAF e organiza detalhes para buscar investidores.

São Caetano: já criou a SAF, que está sendo gerida por Manoel Sabino Neto. Ele prometeu foco nas categorias de base e reforma do Estádio Anacleto Campanella. Também já disse que há negociação para obter investimento do mundo árabe.

Estudam a criação da SAF

Ipatinga: De acordo com o presidente do clube, Nicanor Pires, a diretoria do time contratou um escritório de advocacia para estudar a possibilidade. O assunto deve ser votado pelo Conselho em fevereiro.

Náutico: Diógenes Braga assumiu a presidência do clube recentemente e pretende transformá-lo em clube-empresa, mas ainda está estudando como isso deve ser feito.

Portuguesa: não há muitas manifestações oficiais sobre o assunto, mas Jorge Nicola disse que a Lusa deve abrir a SAF até o fim de janeiro. Segundo ele, o clube recebe assessoria jurídica estrutural de José Francisco Manssur para organizar isso, em parceria com o presidente Antonio Carlos Castanheira.

Vasco da Gama: começou a cogitar a possibilidade e encomendou estudos sobre o assunto. Mas a ideia enfrenta resistência e não deve acontecer a curto prazo.

Na Série A

O Botafogo anunciou acordo com John Textor, um dos sócios do Crystal Palace. Ele deve investir cerca de R$ 400 milhões, além de se tornar devedor solidário de uma dívida de quase R$ 1 bilhão.

O Cuiabá, que já era administrado como clube-empresa, virou SAF. O objetivo é buscar mais incentivos fiscais, investimentos e redução de impostos.

Os sócios do Coritiba já aprovaram a criação da SAF. Falta detalhar o novo estatuto e buscar investidores, o que deve acontecer ao longo de 2022. A diretoria não tem pressa e acredita que tudo só será concluído em 2023.

O América-MG já estudava virar clube-empresa antes da lei da SAF. Agora isso está em processo adiantado, com provável investimento da Kapital Football Group, do milionário americano Joseph Dagrossa. 

Goiás e Athletico são outros times que pretendem virar SAF em breve. E tem ainda o Red Bull Bragantino, que não é SAF, mas é clube-empresa.

Portanto quase metade dos times da Série A (8) viraram clube-empresa ou estão muito perto disso.

Não confundir com clube-empresa no formato antigo

Antes da criação da lei das SAFs, muitos times já tinham virado clube-empresa. Em São Paulo temos vários casos, como Botafogo e Ferroviária, por exemplo. Mas neste texto quisemos destacar apenas aqueles que estão entrando na “moda” das SAFs.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS