Esporte / Esporte Pará
POSTURA

Papão precisa ditar o ritmo do jogo se quiser sair vitorioso e classificado de Erechim

Paysandu tem a partida do ano que pode valer o acesso a Série B, assim como já garantiu o maior rival

sexta-feira, 15/01/2021, 11:54 - Atualizado em 15/01/2021, 12:01 - Autor: Tylon Maués/Diário do Pará


Nicolas sabe que a partida será equilibrada, mas espera que o time bicolor seja o protagonista
Nicolas sabe que a partida será equilibrada, mas espera que o time bicolor seja o protagonista | Jorge Luiz / Paysandu SC

Para chegar ao acesso, o Ypiranga-RS tem que vencer amanhã e torcer pelo Remo contra o Londrina-PR contra o Remo. Para tanto, o time gaúcho terá que melhorar em um quesito importante, a defesa. O Canarinho levou nove gols e tem a pior defesa do Grupo D, mesma numeração do Ituano-SP no Grupo C. Além disso, a equipe mandante tem que quebrar uma escrita contra o Paysandu: em três confrontos perdeu dois e empatou um. Uma das missões é segurar o artilheiro bicolor. Dos nove gols marcados por Nicolas na competição, um foi na vitória de 2 a 1 sobre os gaúchos, em Belém.

O atacante do Papão demonstra extremo respeito pelo adversário, analisando o jogo de amanhã quase como uma partida de xadrez, com os dois times se estudando bastante antes de partirem para cima um do outro. “Vai ser um jogo difícil, temos que reiterar isso. O adversário tem uma equipe qualificada e, mesmo precisando do resultado, não deve ir com tudo para cima. É um time organizado e vai em busca da vitória, assim como a gente, que não somos só de nos defender. Temos que entender o mais rápido possível como será o jogo e estarmos preparados para ditar esse ritmo”.

Nicolas faz um paralelo entre o jogo deste sábado e o confronto com o Náutico-PE, ano passado, quando o Papão perdeu o acesso. Para ele, há a necessidade de contar uma história diferente, em especial com um final feliz. “É um jogo decisivo como aquele, tem sua importância como aquele, mas é uma história totalmente diferente. Sabemos o que vale esse jogo e é encarado como uma decisão. Aquele jogo não foi feliz para a gente e estamos preparados para escrever uma nova história. Quem vai a Erechim está preparado para uma guerra”.

A história traz ensinamentos, e Nicolas e a maior parte do elenco bicolor já viveu frustrações e vitórias com títulos e acessos. É nisso, nas lições tiradas, que ele e seus companheiros se apegam para aliar o trabalho que foi feito na temporada para que a volta do interior gaúcho seja em festa. “Já participei de grupos vitoriosos, com acessos no Sul. Ano passado passamos por aquela situação em que todos sabem. Em 2012 estava na Chapecoense, mas saí antes e no fim da temporada eles conseguiram o acesso”, disse. “Merecemos subir porque nossa campanha foi boa, temos muito interesse no acesso desde o ano passado. Mas, temos que ter algo a mais porque os demais times também querem o acesso”, finalizou o artilheiro bicolor.

Victor Diniz pode ir para o Cruzeiro

Um dos destaques da base do Paysandu, o meia Victor Diniz pode estar de malas prontas para ir ao Cruzeiro-MG. Cria da base bicolor, o meia de 19 anos tem contrato com o clube paraense até o fim de 2022 com o Papão e seria emprestado por um ano à Raposa, com opção de compra pelo time mineiro. O Papão não se manifestou sobre o caso ainda, em especial sobre uma possível prorrogação de contrato com Victor.

Victor Diniz estreou na equipe profissional na atual temporada, ainda em 2020. Ele esteve em campo em sete oportunidades durante o Campeonato Brasileiro de Aspirantes, onde fez três gols e foi um dos destaques do time alviazul na competição. Na equipe de cima foram quatro jogos, dois pelo Campeonato Paraense (Itupiranga e Paragominas) e outros dois pela Série C (Santa Cruz-PE e Clube do Remo).

O meia é considerado uma das joias da base do clube e já teve passagens pelas divisões inferiores do São Paulo-SP e do Bahia-BA. No Cruzeiro ele também iria primeiro para o elenco Sub-20.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS