Diário Online
Esporte / Esporte Pará
CAMISA 10

Meia quer ficar no Paysandu, elogia Fiel e projeta RexPa

José Aldo marcou seu primeiro gol com a camisa do Papão no clássico contra o Remo; Jogador falou sobre o cansaço da equipe na segunda etapa e mantém confiança na classificação dentro do Baenão

quinta-feira, 02/12/2021, 23:22 - Atualizado em 02/12/2021, 23:22 - Autor: Kaio Rodrigues


José Aldo fez questão de ficar na Curuzu, ao contrário de muitos ex-companheiros que abandonaram o time
José Aldo fez questão de ficar na Curuzu, ao contrário de muitos ex-companheiros que abandonaram o time | Divulgação

Muitos esperavam um jogo ruim entre Paysandu e Remo no primeiro duelo entre as equipes por conta dos cenários que as equipes vivem. Um não conseguiu o acesso e teve o desmanche no elenco, enquanto que o outro foi rebaixando na Série B e já começa a ver a saída de jogadores. Não foi o que se viu e todos se surpreenderam, principalmente com o primeiro tempo do Paysandu. José Aldo falou sobre o jogo e projetou o próximo clássico Rei da Amazônia.

“Temos que usar a mesma estratégia. É importante entrarmos como entramos nesse último jogo, focados, concentrados e unidos para buscar a vitória no campo do adversário. O cansaço físico da equipe não é o que mais preocupa, mas é um ponto importante. Temos que descansar e recuperar bem para estar 100% para o confronto. Estávamos um tempo sem jogar e eles chegaram com ritmo de jogo. Não tinha como não sentir. O melhor era estar em ritmo de jogo e nessa questão sentimos. Quando houveram as trocas. O time voltou. Quem entrou, entrou bem e pode agregar à equipe. Não faltou vontade em nenhum momento", destacou.

Quem assistiu viu um primeiro tempo arrasador do Paysandu para cima do Remo. Os bicolores simplesmente amassaram o rival e não deixaram os azulinos jogarem. O placar de 2 a 0 na primeira etapa foi merecido, mas na segunda etapa o time sentiu a parte física e levou o empate. Para José Aldo, os bicolores possuem condições de saírem com a classificação do Baenão.

“Por ser clássico, um jogo diferente de todos, temos que estar ligados em todos os segundos da partida. Mostramos no jogo que temos totais condições de vencer o adversário e de conseguir a classificação para a final. Temos que entrar igual no primeiro tempo aqui na Curuzu. Focados, unidos e batalhar por cada bola. São 180 minutos. Faltam 90. A qualquer momento, qualquer bola, qualquer lance pode resolver a classificação. Temos que estar preparados para o jogo e aproveitar tudo o que possa favorecer a gente da melhor maneira possível", enfatizou.

José Aldo fez questão de ficar na Curuzu, ao contrário de muitos ex-companheiros que abandonaram o barco. A atitude do jogador, aliada ao seu bom desempenho em campo fez o torcedor alviceleste criar um carinho e admiração pelo meia. Perguntado se quer continuar no Papão, ele revelou o desejo de permanecer no clube, mas que segue focado na Copa Verde e depois decidirá seu futuro. Além disso, ele exaltou a festa da torcida.

“Tenho vontade de ficar, sim, para a próxima temporada. Sou grato ao Paysandu por ter aberto as portas para mim. Mas não tem nada definido. Estou 100% focado nessas finais da Copa Verde. Só tenho que agradecer todo carinho da torcida e dos meus companheiros que estão comigo no dia a dia, me ajudando a ter essas atuações. Foi o melhor primeiro tempo que tivemos desde que cheguei. O fator da torcida, por ser um clássico, tudo contribuiu bastante para entrarmos nos 100 por hora no jogo. Foi gratificante demais para nós. Foi fundamental a atuação e o apoio da torcida durante os 90 minutos", finalizou.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS