Notícias / Notícias Brasil
FINALMENTE

Médico anticloroquina é escolhido para protocolo de Covid-19

Carlos Carvalho sempre foi um dos maiores críticos do uso da cloroquina no tratamento de pacientes com Covid-19.

quinta-feira, 25/03/2021, 09:32 - Atualizado em 25/03/2021, 09:55 - Autor: Com informações da IstoÉ


Carlos Carvalho sempre foi um dos maiores críticos do uso da cloroquina no tratamento de pacientes com Covid-19, medicamento sem eficácia comprovada, que é frequentemente mencionado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).
Carlos Carvalho sempre foi um dos maiores críticos do uso da cloroquina no tratamento de pacientes com Covid-19, medicamento sem eficácia comprovada, que é frequentemente mencionado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). | Reprodução

O professor da USP e diretor da Divisão de Pneumologia do InCor (Instituto do Coração), doutor Carlos Roberto Ribeiro de Carvalho, foi escolhido como coordenador de um grupo sobre protocolos de combate à Covid-19. As informações são da Istoé.

O anúncio foi feito pelo novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, durante entrevista coletiva realizada na última quarta-feira (24).

O que chama a atenção é que Carlos Carvalho sempre foi um dos maiores críticos do uso da cloroquina no tratamento de pacientes com Covid-19, medicamento que é frequentemente mencionado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) como uma alternativa de “tratamento precoce” da doença, mesmo não possuindo eficácia comprovada.

O novo ministro da Saúde teria pedido que os protocolos usados no Hospital das Clínicas e no InCor sejam levados para todo o Brasil.

Em abril de 2020, Carlos Carvalho chegou a comparar a eficácia da cloroquina no tratamento de Covid-19 à da Novalgina, ou seja, nenhuma.

Em entrevista à coluna Painel, Carvalho disse que não terá um cargo específico, embora tenha tido seu nome anunciado pelo ministro.

“Me comprometi a ajudar nesse momento crítico. Não farei parte de ministério. Coordeno a teleUTI do InCor HCFMUSP (Hospital da Faculdade de Medicina da USP), tendo realizado mais de 7 mil atendimentos em diferentes hospitais públicos do estado de SP. Nesse sentido, capacitação de equipes e teleconsultoria, disse que poderia contribuir”, disse o professor.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS