Notícias / Notícias Brasil
DESESCONTRO

Ministério da Saúde quer suspender vacina em adolescentes

Em menos de 24h após o início da campanha, a pasta disse que "revisou" a recomendação para esse público, suspendendo a vacinação.

quinta-feira, 16/09/2021, 11:09 - Atualizado em 16/09/2021, 11:09 - Autor: Com informações do portal Metrópoles


Ministério da Saúde recomendou a suspensão da vacinação em adolescentes, menos de 24g após o início da campanha para esse público.
Ministério da Saúde recomendou a suspensão da vacinação em adolescentes, menos de 24g após o início da campanha para esse público. | Divulgação

Depois do Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciar que adolescentes de 12 a 17 anos seriam incluídos na vacinação contra a Covid-19, com prioridade para comorbidades e, com decisão tomada com Estados e municípios, o Ministério da Saúde recuou. As informações são do portal Metrópoles. 

Veja o calendário da vacinação para quinta (16) e sexta (17)

O Ministério da Saúde voltou atrás, um dia após anunciar a vacinação contra a Covid-18 e suspendeu a vacinação para adolescentes entre 12 e 17 anos sem comorbidades. Inicialmente, o governo federal pretendia imunizar 20 milhões de pessoas desse público.

Em nota técnica publicada em menos de 24 horas após o início da campanha para esse público, a pasta informou que "revisou" a recomendação. A justificativa seria que a maioria dos adolescentes sem comorbidades acometidos pela Covid-19 apresentam evolução “benigna”, ou seja, apresentando-se assintomáticos.

Auxílio emergencial: nascidos em outubro podem sacar 

Para a secretária Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, Rosana Leite de Melo, “os benefícios da vacinação em adolescentes sem comorbidades ainda não estão claramente definidos”. Ela reforça ainda, que a Organização Mundial de Saúde (OMS) não recomenda a imunização de criança e adolescente, com ou sem comorbidades.

Inicialmente, a recomendação da pasta era outra. Em julho, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, adiantou que o público participaria da campanha de vacinação.


Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS