Diário Online
Notícias / Notícias Brasil
RACISMO NO DF

Vídeo: mulher xinga dono de loja de açaí de "macaco preto"

Caso aconteceu em loja de venda de açaí em Taguatinga, no Distrito Federal, na última segunda-feira (9). Imagens foram gravadas pelo dono do estabelecimento.

quinta-feira, 12/05/2022, 11:01 - Atualizado em 12/05/2022, 11:00 - Autor: Com informações do Metrópoles

Google News

Mulher, ainda não identificada, é conhecida por tratar as pessoas mal na área
Mulher, ainda não identificada, é conhecida por tratar as pessoas mal na área | Reprodução

Mesmo com as constantes mobilizações e leis para combater o preconceito, atos de discriminação ainda são comuns no Brasil, infelizmente. A pena para os crimes de injúria racial e racismo podem chegar a até 3 anos de prisão e pagamento de multa.

Uma mulher xingou com ofensas racistas o empresário de uma loja de açaí, em Taguatinga, no Distrito Federal, na última segunda-feira (9). Paulo Vitor Silva Figueiredo, de 22 anos, gravou as falas da cliente e se recusou a preparar o pedido. Ela queria que o açaí ─ já misturado com xarope de guaraná e banana ─ fosse vendido sem banana.

Veja também:

Ex-ministro resistia a "jabuti" de gasoduto de R$100 bilhões

Panela de pressão explode e mata mulher em restaurante

No vídeo, após ser informada que não seria possível retirar a banana da receita, a mulher dispara as falas preconceituosas: “macaco preto, idiota, palhaço, ridículo, ET, inútil, pateta”. Depois dos xingamentos, ela ainda ordena o rapaz a preparar o açaí, pois estava “na cidade dela”.

Segundo o dono da loja, a mulher passou cerca de 30 minutos na porta do estabelecimento, após não aceitar que o açaí seria feito com banana.

“Ela me viu colocando a banana no açaí para bater e falou que não queria com banana. Eu expliquei que a nossa receita é fechada já, que é o açaí, banana e xarope”, contou. “Ela não quis aceitar, não queria que eu batesse com banana, porque ela estava exigindo. Eu falei: ‘Moça, não tem como, minha receita é essa’. Aí ela falou: ‘Então vamos resolver na delegacia’. Pensei que ela iria chamar o Procon, algo assim, mas ela começou a me xingar, atacar: ‘Macaco, preto'”, completou.

Paulo Vitor diz que nunca havia passado por uma situação como essa. De acordo com ele, a mulher “tem o histórico de ser alguém que causa muitos problemas” no comércio onde fica sua loja.

“Depois, ainda chegou uma cliente nossa e perguntou o que estava acontecendo. Aí, ela começou a agredir verbalmente essa moça e continuou: ‘Macaco, preto, alienígena’. Isso começou umas 20h e ela ficou lá até 20h30 xingando”, relatou.

Veja o vídeo:

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS