Diário Online
Notícias / Notícias Brasil
CASO BRUNO E DOM

Comissão aprova pedido de afastamento do presidente da Funai

Comissão argumenta que Marcelo Xavier esteve inerte em relação ao caso Bruno e Dom, além de dificultar atividades desenvolvidas por servidores da Funai com os povos indígenas

quinta-feira, 07/07/2022, 07:29 - Atualizado em 07/07/2022, 07:29 - Autor: DOL

Google News

Requerimento foi aprovado hoje após ser submetido para a comissão
Requerimento foi aprovado hoje após ser submetido para a comissão | Valter Campanato - Agência Brasil

Foi aprovado, nesta quarta-feira (6), um requerimento solicitando o afastamento imediato do presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Marcelo Xavier, ao Ministério da Justiça e Segurança Pública referente ao caso de Bruno Pereira e Dom Phillips.

Bruno e Dom: PF solta homem que teria confessado crime

O pedido foi feito pela Comissão Externa da Câmara dos Deputados e requerido pela deputada federal Vivi Reis (Psol/PA). No documento, foi pontuado que Xavier atuou “para dificultar as atividades desenvolvidas por servidores da Funai que estão em contato direto com os povos indígenas”, o que, segundo a parlamentar, teria ficado evidente durante uma diligência realizada pela Comissão na semana passada.

“Passado um mês da tragédia, a Funai não abriu um único inquérito administrativo para acompanhar a questão, e não tomou qualquer medida efetiva para garantir a proteção de seus servidores”, afirmou a deputada no requerimento.

Outro requerimento sobre o assunto também foi submetido e aprovado hoje. Esse solicita que a Funai elabore e implemente um Plano Emergencial para Ações de Proteção Territorial do Vale do Javari.

Desaparecimento e morte

O caso Bruno e Dom ficou conhecido no mundo no mês passado. Os profissionais estavam desaparecidos no interior do Amazonas desde 5 de junho e seus corpos foram encontrados e identificados longas semanas depois.

O crime organizado é a metástase da destruição da Amazônia

O jornalista inglês Dom Phillips, do The Guardian, trabalhava em uma reportagem na companhia do indigenista Bruno Pereira e se preparavam para fazer um trajeto de barco que levaria somente duas horas entre a comunidade ribeirinha de São Rafael e a cidade de Atalaia do Norte.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS