Diário Online
Notícias / Notícias Brasil
DEMOGRAFIA

IBGE treina 6 mil para realização do Censo no Pará

Levantamento de população e domicílios inicia no próximo dia 1º de agosto, a partir do trabalho dos recenseadores que estão sendo treinados. Também será feita pesquisa sobre populações tradicionais

terça-feira, 19/07/2022, 08:11 - Atualizado em 19/07/2022, 09:53 - Autor: Irlaine Nóbrega

Google News

O treinamento dos recenseadores segue até sexta-feira (22)
O treinamento dos recenseadores segue até sexta-feira (22) | Celso Rodrigues / Diário do Pará

Desde ontem (18) até o dia 22 de julho, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) realiza o Treinamento dos Recenseadores do Censo 2022. Essa é a última etapa de seleção dos candidatos que devem trabalhar na coleta domiciliar do Censo Demográfico deste ano. No Estado do Pará, mais de 6 mil candidatos estão sendo treinados, sendo 1.648 da Região Metropolitana de Belém (RMB), o que corresponde a mais de 27% do total.

Os candidatos serão submetidos a uma prova teórica de caráter eliminatório no último dia de treinamento. Para serem considerados aptos à contratação, eles devem acertar, no mínimo, 50% do teste, correspondente à nota 5. Além disso, os candidatos devem ter 80% de frequência, o que significa que podem faltar apenas um dia.

De acordo com o chefe da Unidade do IBGE no estado do Pará, Rony Helder Cordeiro, serão 2 milhões de domicílios pesquisados pelos recenseadores no estado do Pará. Por isso, o treinamento é a ferramenta que garante um levantamento seguro e confiável, que busca entender a realidade do país. No dia 1º de agosto, os recenseadores classificados dão início a pesquisa de campo do IBGE.

Eleitor já pode pedir autorização para votar em trânsito

Lucro do FTGS será pago em agosto para brasileiros

“O treinamento está sendo feito no estado do Pará, mas também no Brasil. Estamos iniciando a última etapa de seleção dos recenseadores do Censo 2022. Nós estamos focando justamente o aprendizado dessa equipe que está sendo treinada. Os candidatos vão entender sobre os setores censitários, os questionários básicos e de amostra e, até mesmo, a própria conduta de abordagem. Concluindo essa etapa eles vão estar aptos a cumprir a função de recenseador”, afirmou Rony Helder.

QUILOMBOLAS

Segundo Allan Bezerra, coordenador censitário da subárea do Marco, durante cinco dias, os candidatos têm acesso ao conhecimento necessário para realizarem o levantamento de forma fidedigna. “Os assuntos são de diversos tipos. A gente tem vários conceitos que são necessários serem aplicados em campo, por exemplo, domicílios e estabelecimentos. Eles estão aprendendo tudo isso em sala, o que é um domicílio particular, um domicílio improvisado, domicílio coletivo, conseguir distinguir tipos de logradouros, os públicos, privados. Tudo isso é ensinado para que eles cheguem em campo e consigam reproduzir o padrão esperado pelo IBGE”, disse.

Ainda conforme o coordenador de subárea, em 2022, o Censo vem com uma novidade na pesquisa de campo: um questionário que inclui as particularidades da população quilombola. “O Pará é uma região que tem muita população tradicional, tanto população indígena quanto população quilombola. O Censo vai ter um questionário diferenciado que vai contemplar pela primeira vez a população quilombola. Antes eles eram englobados junto com a população geral, mas agora vão ser consideradas todas suas peculiaridades”, esclareceu.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS