Diário Online
CÍRIO DE TODA FÉ

Artesão agradece a Nazinha confeccionando terços e mantos

Vivendo a fé do Círio desde os 4 anos, o artesão Ari Santa Rosa contou um pouco de sua trajetória e afirmou que “o Círio é uma caminhada rumo ao pai, através de Maria. Nossa Senhora é um grande Espírito de luz rumo ao Pai”.

quarta-feira, 06/10/2021, 08:23 - Atualizado em 06/10/2021, 08:25 - Autor: Enderson Oliveira


Promesseiro, Ari Santa Rosa confecciona há décadas mantos e terços em homenagem a Nossa Senhora de Nazaré.
Promesseiro, Ari Santa Rosa confecciona há décadas mantos e terços em homenagem a Nossa Senhora de Nazaré. | Divulgação

Sabe-se que a fé cristã, em especial a católica, possui como grande ícone em Belém a procissão do Círio de Nazaré, realizada desde 1793 na capital paraense. O Círio movimenta não apenas as pessoas nas procissões, mas inúmeras sensações, sentimentos e experiências de fiéis. Dentre estes, há vários artesãos, que desenvolvem suas ações ao longo do ano e as intensificam antes e durante a quadra nazarena.

 

| Divulgação
 

Uma destas pessoas é Ari Santa Rosa, 59 anos, paraense que produz mantos e terços para “Nazinha” há quase 4 décadas. Sua produção começou em 1983, quando o devoto teve uma graça alcançada após súplicas feitas a Maria: a cura de sua irmã, que estava com uma enfermidade.

Com fé, habilidade e inteligência, ele começou a produzir as primeiras peças. “Para aprender a fazer não tive dificuldades. No entanto, hoje em dia a grande dificuldade é em relação a materiais, como bordados e pedrarias”, destaca Ari, citando a escassez da matéria-prima para alguns de seus produtos. Este quadro se torna mais complexo à medida que o Círio se aproxima, já que as encomendas de diversos artesãos aumentam e adereços, tecidos e outros materiais passam a ser mais raros.

 

| Divulgação
 

Apesar destas dificuldades, as peças de Ari, todas manufaturadas, seguem sendo únicas e hoje também são comercializadas. Os terços variam de R$50 a R$ 150, enquanto os mantos, repletos de cores, símbolos católicos e até mesmo joias, vão de R$ 250 até mesmo R$ 8 mil, dependendo do material utilizado. 

 

| Divulgação
 

Negócios à parte, a produção e a Fé de Ari vão bem além, já que desde os 4 anos de idade ele vive a Fé em Maria, que só aumentou a cada ano. É o artesão que, emocionado, sintetiza o Círio como “a maior união de fé e simplicidade dos devotos que se misturam em torno da berlinda, que leva o símbolo de Maria. É como o canto ‘Eu sou de lá’, da Fafá de Belém", é preciso ver pra sentir, simplicidade pra chorar sem entender, sem saber bem o porquê”, finaliza.

ONDE ENCONTRAR

Você encontra os produtos de Ari Santa Rosa na loja Cápsula Colaborativa, que fica na Av. Senador Lemos, 151, entre Doca e Wandenkolk.

A loja funciona de segunda à sexta (11h às 17h) e aos sábados de 9h às 14h. Saiba mais clicando aqui.

 

| DOL
 

Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)
MAISACESSADAS