Diário Online
É BONITO SER FEIO?

Modelos com "beleza peculiar" ganham espaço no mundo fashion

A onda agora é aceitar suas características antes tidas como estranhas ou até feias. Nada de padrões harmônicos! Modelos com beleza fora do padrão começam a ter valor no mundo da moda com o movimento conhecido como P-beuty.

quinta-feira, 27/05/2021, 18:35 - Atualizado em 27/05/2021, 18:35 - Autor: Com informações R7


A armênia Armie e a grega Sophia são duas grandes expoentes do movimento
A armênia Armie e a grega Sophia são duas grandes expoentes do movimento | Divulgação

Durante muitas décadas, um mesmo padrão de beleza era reforçado nas mídias acabou por levar diversas gerações a uma constante insatisfação com a própria imagem. No entanto, isso tem sido redefinido através do movimento P-Beauty, popularmente chamado de beleza peculiar ou simplesmente beleza real.

Rugas, estrias, cicatrizes e outros detalhes "desarmonizados" em relação ao que se tem como belo são cada vez mais valorizados. Um exemplo disso é a jovem escolhida como musa da marca italiana Gucci, a modelo Armie Harutyunya, com características peculiares como nariz comprido, lábios finos, olheiras, sobrancelhas grossas e orelhas proeminentes.

Parece que as supermodelos da década de 90 se tornam cada vez mais um mero reflexo do passado, e o que denota isso é o surgimento de agências de modelos na Polônia, Alemanha e Inglaterra especializadas em recrutar pessoas de características físicas e nuances estéticas da chamada “beleza alternativa” (alt-beauty), que incluem pessoas acima do peso, visual geek (nerds fãs de eletrônicos e quadrinhos) ou com características excêntricas de pessoas comuns.

Outra prova disso é a modelo grega Sophia Hadjipanteli, que já foi o rosto de marcas como Guess Jeans e Polaroid. Ela criou o movimento #unibrow para que outras mulheres, assim como ela, se sintam livres para abandonar a pinça e deixar os pelos das sobrancelhas crescerem do jeito que são.

Segundo dados da realização de procedimentos cirúrgicos do International Society of Aesthetic Plastic Surgery (Isaps), a maior parte das rinoplastias (64,5%) ocorreu em jovens de 19 a 34 anos de idade, enquanto os injetáveis foram mais populares entre pacientes de 35 a 50 anos (46,1% do total).

A rinoplastia também continua sendo o procedimento estético mais comum em pacientes com 18 anos ou menos. No caso dos procedimentos faciais rejuvenescedores, aqueles contra as rugas e flacidez, o movimento P-Beauty abraça a ideia do Pro-Aging, de incentivar um rosto mais natural contra os excessos de “anti-idade”, evitando exageros que artificializam o rosto.


Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS