Notícias / Marabá
MARABÁ

Trabalhadores sem terra são apreendidos após invasão de propriedade privada

Uma das proprietárias da área comunicou à polícia que a área havia sido novamente ocupada.

quinta-feira, 14/01/2021, 19:33 - Atualizado em 14/01/2021, 20:24 - Autor: Alessandra Gonçalves/Diário do Pará


Momento do resgate dos trabalhadores sem-terra.
Momento do resgate dos trabalhadores sem-terra. | Deca/Polícia Civil

A Delegacia de Conflitos Agrários de Marabá (Deca) apreendeu, na noite da última quarta-feira (13), cerca de 50 trabalhadores sem terra que ocupavam a Fazenda Muriaé, em Nova Ipixuna, município vizinho a Marabá, sudeste paraense.

Uma das proprietárias da área comunicou à polícia que a área havia sido novamente ocupada.

Criminosos invadem shopping e roubam joias de loja no Pará

Ex-presidiário é morto por amigo em carro de aplicativo em Marabá

A Fazenda Muriaé foi alvo de reintegração de posse no final do ano de 2018. Após isso, não tinha ocorrido mais ocupação por invasores, mas na última quarta-feira uma das proprietárias da área foi à Deca, acompanhada de advogado e registrou o crime.

“A gente confeccionou o Boletim de Ocorrência, comunicamos o fato à Belém, ao diretor de Polícia do Interior. Tivemos permissão para ir até o local. A equipe da Deca com apoio de profissionais da Seccional, de imediato já flagramos todo mundo ocupando a terra”, disse o delegado da Polícia Civil, Ivan Pinto.

DILIGÊNCIA

Os policiais foram em uma viatura descaracterizada e, ao chegar ao local, Observaram um carro em fuga, que foi perseguido. No interior do veículo, foram encontradas três espingardas longas, calibres 22, 28, além de munições.

Os policiais seguiram para a sede da fazenda, onde reuniram os ocupantes da área e os orientaram a sair do local. “A gente convenceu eles a saírem e conseguimos um ônibus para retirá-los”, contou.

Os colonos foram levados para a sede da Deca, em Marabá, onde 27 foram ouvidos e lavrados contra eles um Termos Circunstanciado de Ocorrência (TCO) pelo crime de esbulho possessório.

A polícia vai apurar o crime de ameaça e quem é o responsável por ter abastecido os trabalhadores com as armas de fogo.

Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)
MAISACESSADAS