Diário Online
Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
26°
cotação atual R$
REGRAS

Copa no Catar: organizador proíbe demonstrações LGBTQIA+

Nasser Al-Khater afirma que comunidade LGBTQIA+ será bem recebida no país, mas solicita "respeito por cultura local"

quinta-feira, 02/12/2021, 16:51 - Atualizado em 02/12/2021, 16:51 - Autor: Com informações BBC


Nasser Al-Khater em entrevista à BBC
Nasser Al-Khater em entrevista à BBC | Reprodução

O presidente do comitê organizador da Copa do Mundo de 2022, Nasser Al-Khater gerou polêmica ao dar declarações no mínimo contestáveis na última quarta-feira (1). O dirigente pediu que não haja demonstrações homoafetivas em público durante as competição no Catar, que será realizada entre os meses de novembro e dezembro de 2022.

"Eles virão ao Catar como torcedores e participantes de um torneio de futebol e poderão fazer o que qualquer outro ser humano faria. As demonstrações de afeto são desaprovadas e isso se aplica a todos", afirmou Nasser Al-Khater em entrevista à BBC.

Um dos principais nomes à frente dos bastidores do torneio, Al-Khater citou o histórico conservador de alguns países do Oriente Médio para falar da cultura local. A homossexualidade é considerada crime em algumas nações da região.

"O Catar e seus países vizinhos são muito mais conservadores e pedimos aos torcedores que o respeitem. Temos certeza que o farão, assim como respeitamos as diferentes culturas, esperamos que a nossa também seja", prosseguiu o dirigente.

Veja também!


Durante a entrevista, Nasser Al-Khater foi questionado sobre o jogador Josh Cavallo, que se declarou publicamente como homossexual. O atleta afirmou que tem medo de estar em um país como o Catar, que tem histórico de represálias à comunidade LGBTQIA+.

"Damos as boas-vindas e convidamos eles a conhecer o país antes da Copa. Ninguém se sente ameaçado aqui, acho que essa percepção se deve às múltiplas denúncias e notícias que dão um olhar negativo ao país", completou Al-Khater.

As relações homossexuais são proibidas por lei no Catar. As penas podem variar entre um a 10 anos de prisão. Vizinhos da sede da próxima Copa do Mundo, Arábia Saudita, Sudão e Irã são países que punem homossexuais até com pena de morte. 

Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)
MAISACESSADAS