Notícias / Notícias Pará
SETEMBRO AMARELO

MPPA recomenda protocolo de prevenção ao suicídio ao Corpo de Bombeiros 

quarta-feira, 02/09/2020, 12:08 - Atualizado em 02/09/2020, 12:10 - Autor: Diario Online


A recomendação se deu após o MPPA verificar que o Corpo de Bombeiros do Estado não tem protocolos específicos, como técnicas de segurança para agir nesses casos.
A recomendação se deu após o MPPA verificar que o Corpo de Bombeiros do Estado não tem protocolos específicos, como técnicas de segurança para agir nesses casos. | Divulgação

O Ministério Público do Pará (MPPA), através da segunda Promotoria de Justiça Militar, recomendou na manhã desta quarta-feira (2) que o Corpo de Bombeiros Militares do Estado do Pará implemente um protocolo específico em casos envolvendo pessoas com o objetivo de cometer suicídio.

Para aumentar a segurança dos paraenses e aperfeiçoar o treinamento dos Bombeiros, em especial no "Setembro Amarelo", o documento pede "que providencie a criação, com treinamento do efetivo especializado, de um protocolo específico para os casos envolvendo pessoas com o objetivo de cometer suicídio, a fim de que o Corpo de Bombeiros Militares do Estado do Pará possa agir com segurança e respaldada com técnicas especiais".

Setembro Amarelo

O setembro amarelo é uma campanha brasileira de prevenção ao suicídio, que teve início em 2015. O dia 10 deste mês é oficialmente o Dia Mundial da Prevenção ao Suicídio, no entanto a campanha acontece durante todo o mês de setembro.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), aproximadamente 800 mil pessoas cometem suicídio por ano no mundo inteiro. O Brasil, ocupa o 1.º lugar na América Latina onde a população apresenta comportamentos suicidas. E o 11ª posição no ranking mundial de países que apresentam esses comportamentos, informou a Piar Comunicação.

Os números apontam 12 mil mortes por ano, o equivalente a um crescimento de 7% nos últimos seis anos. Apesar de altos índices, o assunto ainda é um tabu para parte da população. O que impede que as pessoas conversem sobre o tema e, desta forma, possam prevenir familiares, amigos e conhecidos de cometam o ato.

Pandemia 

Com a pandemia do novo coronavírus, o assunto se torna ainda mais preocupante no Brasil, já que questões como depressão, ansiedade, estresse e falta de perspectivas positivas seguem em alta.

Pesquisas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), realizadas entre os meses de março e abril, apontam por exemplo, um aumento de cerca de 100% nos casos de depressão e de 80% nos casos de ansiedade.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS