Notícias / Notícias Pará
SERVIÇO

Você sabe mesmo declarar imposto? Saiba como se organizar

Contador explica que o primeiro passo é separar por grupos as informações exigidas pela Receita Federal. O prazo abrirá em março, mas quanto maior for a antecedência, menores serão as chances de cair na malha fina

quarta-feira, 20/01/2021, 07:36 - Atualizado em 20/01/2021, 09:44 - Autor: Wesley Costa


Informações precisas podem ajudar a garantir uma declaração mais rápida e sem problemas
Informações precisas podem ajudar a garantir uma declaração mais rápida e sem problemas | Marcelo Camargo/Agência Brasil

A abertura do prazo para a entrega das declarações do Imposto de Renda será em março de 2021, e milhares de brasileiros que são contribuintes terão de exercer novamente essa importante tarefa. Para agilizar o processo e evitar ficar com pendências ou cair na malha fina é preciso se organizar com antecedência.

Segundo o contador Ian Blois, a falta de organização das informações é o principal motivo de retenção da declaração. Os dados necessários podem ser divididos em três grandes grupos. O primeiro refere-se às informações do rendimento financeiro. “A maioria dos contribuintes tem uma única fonte de renda, então fica mais fácil organizar essa questão dos rendimentos. Agora temos também contribuintes como médicos, advogados e profissionais liberais que possuem diversas fontes de renda”, lembra Blois.

Nesses casos, o especialista orienta mapear onde foram prestados todos os serviços no exercício de 2020, para que não haja ausência de nenhuma fonte de renda que possa cair na malha fina posteriormente. No segundo grande grupo estão colocadas as despesas dedutíveis e não-dedutíveis, sendo a última apenas aquelas que vão virar uma informação pertinente para a Receita como, por exemplo, o aluguel.

Há outras despesas dedutíveis que precisam ser bastante organizadas, alerta o contador. “Colégio do filho, faculdade, pós-graduação do próprio contribuinte e despesas médicas em geral devem ser organizadas pelas notas fiscais. Quando a gente fala nas grandes regiões metropolitanas, essas notas são eletrônicas e podem ser acessadas por e-mail”, diz.

No caso de serviços prestados por pessoas físicas é necessário solicitar o recibo com o CPF do prestador, valor cobrado pelo serviço e data da realização. “Tudo isso precisa estar arquivado e guardado a nível de informação na hora de fazer a declaração anual de ajuste do Imposto de Renda”, detalha.

No último e terceiro grande grupo devem constar informações sobre declaração de bens, como veículos, joias, dinheiro, contas em bancos, cotas de ações de empresas e imóveis. “No veículo, já tem de ter em mãos as informações do Renavam. No caso do imóvel tem de possuir o número de inscrição imobiliária do IPTU. Isso tudo vai ser preenchido na declaração para fazer a composição da renda e evolução patrimonial”, destaca.

O contador lembra que as empresas são obrigadas a fornecer a declaração de quitação anual para facilitar nas informações. O uso de certificado digital para pessoa física é outra forma que pode ajudar o contribuinte. “Nesse sistema pode-se buscar declarações pré-preenchidas no próprio site da receita, além de conseguir acesso a todas as notas fiscais emitidas para o contribuinte ao longo de 2020.”

Sobre os demais comprovantes, o contador orienta que o contribuinte faça a separação por competências dentro de pastas. “A gente sempre explica que essas demais informações devem ser organizadas mês a mês e somadas de acordo com cada atividade, para poder inserir de uma única vez o valor total na hora de fazer a declaração no sistema.”

FIQUE POR DENTRO

- É possível ainda fazer a soma de forma anual de despesas, a partir do CPF ou CNPJ de quem ofertou o serviço, aconselha o contador.

- A declaração tem como objetivo mostrar à Receita Federal que todos os ganhos e patrimônios foram

alcançados deforma legal.

- No dia 01/06/2020, a Receita informou que 31.981 declarações foram entregues no prazo.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS