Diário Online
Notícias / Notícias Pará
IMUNIZAÇÃO

Governo do Pará garante doses extras da vacina contra a Covid-19 para o extremo oeste

Pedido foi feito pelo Estado ao Ministério da Saúde, com o objetivo de imunizar moradores paraenses na divisa com o Amazonas

sexta-feira, 22/01/2021, 15:24 - Atualizado em 22/01/2021, 19:20 - Autor: Agência Pará


Imagem ilustrativa da notícia: Governo do Pará garante doses extras da vacina contra a Covid-19 para o extremo oeste
| Governo de SP/Divulgação

O governador do Estado, Helder Barbalho, informou, nesta sexta-feira (22), que já garantiu, após pedido, doses extras da vacina contra a Covid-19 para o Ministério da Saúde, com objetivo de imunizar moradores do extremo oeste do Pará, na divisa com o Amazonas.

Covid-19: Governo do Pará pede doses extras de vacina para o Baixo Amazonas

Por meio das redes sociais na quinta-feira (21), o chefe do Executivo Estadual disse que a região já enfrenta uma segunda onda de contaminações pela doença devido a proximidade com o estado vizinho.

"Solicitei ontem (quarta, 20) ao Ministério da Saúde que, além da cota do percentual para o nosso Estado, possamos ter um reforço na oferta de vacina para os municípios que estão na divisa com o Amazonas, já que estamos percebendo um avanço do vírus. Portanto, todos os 144 municípios do Pará vão receber a sua cota e, além disso, provavelmente, os que fazem parte da Calha Norte e Baixo Amazonas, como Faro, Oriximiná, Juruti, Terra Santa, Óbidos e talvez Curuá, possam receber uma cota a mais da vacina. Então, além dos profissionais de saúde e quilombolas, nesta região, que nós possamos avançar já para uma imunização daqueles que já tem mais de 75 anos", destacou Helder Barbalho, ressaltando que o Ministério da Saúde deve receber neste fim de semana 2 milhões de doses de vacinas da Oxford, produzidas na Índia.

De acordo com o governador, com a imunização, a ideia é criar uma barreira imunológica na região, especialmente entre as faixas etárias com maior risco de contágio e morte, já que no estado vizinho há uma nova mutação do coronavírus.

"Nós temos dialogado com o estado vizinho, inclusive buscando mais informações a respeito dessa mutação viral identificada pelo Amazonas, a nova cepa do coronavírus. Isso nos traz uma preocupação maior, já que ao tempo em que se estuda isso na área epidemiológica, temos vários casos de reinfecção sendo identificados e também aqueles que estão sendo infectados pela primeira vez encontram um vírus mais agressivo. Por isso, o governo do Estado tem agido para ampliar a oferta de leitos e serviços", disse o governador.

Segundo Helder Barbalho, neste momento, o Estado oferta atendimento no Barco Hospital Papa Francisco no distrito de Maracanã, no intuito de tirar os pacientes da crise, além de abastecer de oxigênio a cidade, junto com a prefeitura. "Também pedimos que a prefeitura se preparasse para enfrentar a crise. Estamos com quatro helicópteros e uma avião para fazer a remoção desses pacientes. Somente ontem foram 20 pacientes removidos", informou o governador, ressaltando que todas as cidades da região foram abastecidas com oxigênio, e também foram ampliados os leites clínicos e de UTI. Em Juruti, 10 leitos de UTI já estão disponíveis; em Santarém, foram ampliados de 20 para 40 leitos de UTI; e Itaituba, serão 60 leitos de UTI até o fim de semana. Todas as cidades também contam com leitos clínicos.

Ainda de acordo com o governador, além das medidas de saúde pública, o Estado também alterou o decreto do bandeiramento da região e proibiu a circulação de embarcações de passageiros entre o Pará e Amazonas.

"Nós tomamos medidas desde a semana passada, como a elevação do grau de risco de bandeiramento da região oeste do Pará para vermelho, com risco de grau máximo de contaminação, orientando a população das medidas restritivas. Ao mesmo tempo, estamos garantimos atendimento a população com 110 leitos de UTI divididos em três municípios como Juruti, Santarém, e Itaituba. Além disso, também, restringimos a circulação de embarcações entre o Pará e Amazonas, devido a proximidade, como medida preventiva para evitar novas contaminações pelo coronavírus", ressaltou o chefe do Executivo Estadual, destacando que a região oeste do Pará deve receber 500 cilindros de oxigênio na próxima semana.

Helder Barbalho também enfatizou que o governo do Estado já solicitou às prefeituras a lista das pessoas vacinadas contra a Covid-19 para evitar "fura filas". "Defendo que haja absoluta transparência na divulgação dessas listas de vacinados. É claro, precisamos preservar a identidade das pessoas, mas a Procuradoria do Estado está analisando como fazer essa divulgação dos dados sem qualquer tipo de infração. Mas nosso objetivo é muito claro: garantir vacinas dentro dos grupos que estão em prioridade, priorizando as pessoas que estão na linha de frente e aqueles que tem mais vulnerabilidade", disse o governador.

Na tarde desta sexta-feira (22), o chefe do Executivo Estadual visita os municípios de Juruti e Óbidos para verificar a situação de leitos e remoção dos pacientes.

Reunião - Em reunião na noite de quinta-feira (21), por meio de videoconferência, Helder Barbalho conversou com prefeitos da região do Baixo Amazonas para tratar sobre a segunda onda da Covid-19. O chefe do Executivo reforçou a importância dos gestores municipais decretarem medidas mais restritivas em seus municípios, como já foi feito pelo governo do Estado.

Com o objetivo de dialogar com os gestores desses municípios, Helder Barbalho ressaltou o trabalho que vem sendo feito pelo governo do Estado, a visita que fez aos municípios de Faro, Terra Santa e Oriximiná na quinta-feira e a importância de as prefeituras precisarem de planejamento, para que o sistema de saúde não entre em colapso.

"As medidas são um ato necessário para proteger a nossa população, para que o nosso sistema de saúde possa salvaguardar a vida, para que nós possamos garantir a oferta de leitos, serviços e atendimento. Porém, nós não devemos menosprezar os riscos e, consequentemente, assistir aqui às cenas que vimos no estado vizinho, o Amazonas. Por isso, prevenção, responsabilidade, consciência! A sociedade precisa ajudar, e todos nós precisamos estar unidos nessas medidas pra proteger a população", reiterou o governador.

Visita de governo - Na quarta-feira (20), o secretário regional de Governo do Baixo Amazonas, Henderson Pinto, e o secretário adjunto de Saúde do Pará, Sipriano Ferraz, acompanharam, nos municípios de Faro e Oriximiná, a situação da doença, verificando como o Estado poderia atuar nessas cidades.

Em Faro, a comitiva do governo acompanhou o atendimento no Barco Hospital Papa Francisco, financiado pelo Estado, que atracou no porto da comunidade de Maracanã para atender pacientes com sintomas leves e moderados de Covid-19. Em Oriximiná, a equipe visitou o Hospital Municipal. Para atender às demandas, o Governo ofereceu o serviço de transporte aeromédico e doou equipamentos para a unidade de saúde, como bombas de infusão para auxiliar no tratamento dos pacientes que precisam de respiradores.

Usina de oxigênio - O Governo do Pará conseguiu o apoio do Ministério da Defesa para transportar equipamentos para a montagem de uma usina de oxigênio, a fim de garantir a produção do insumo.

O traslado foi feito por um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), que saiu de Curitiba (PR), no sul do Brasil, para Oriximiná, no oeste paraense. O equipamento já começou a ser montado na quinta-feira. A expectativa é que a instalação seja concluída em até 12 horas.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS