Diário Online
Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
27°
cotação atual R$
MELHORIAS

Veja como ficará o Mangueirão após reforma e modernização

A obra tem previsão para ser concluída em 18 meses. Entre as mudanças está a capacidade de público no estádio

sexta-feira, 26/02/2021, 15:00 - Atualizado em 26/02/2021, 17:14 - Autor: Diário Online e Agência Pará


Dentre os serviços que serão executados destaca-se um novo sistema de iluminação e gramado com padrões exigidos pela FIFA
Dentre os serviços que serão executados destaca-se um novo sistema de iluminação e gramado com padrões exigidos pela FIFA | Jader Paes/Agência Pará

O governador Helder Barbalho usou as redes sociais, na tarde desta sexta-feira (26), para mostrar como ficará o Estádio Estadual Jornalista Edgar Augusto Proença, o Mangueirão, após o serviço da obra de reconstrução geral e modernização. A obra tem previsão para ser concluída em 18 meses.

“O torcedor paraense vai ter um novo Mangueirão. Assinamos a ordem de serviço para que a @ParaSedop reconstrua o nosso Estádio Olímpico do Pará, que há vinte anos não recebe melhorias estruturais”, escreveu nas redes sociais, acompanhado de uma animação de como ficará o Mangueirão após as obras.

O Governo do Pará, através da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas, assinou contrato com o Consórcio Obras Mangueirão para executar a obra, cujo orçamento previsto é de R$ 146.983.028,29 (Cento e quarenta e seis milhões novecentos e oitenta e três mil, vinte e oito reais e vinte e nove centavos).O governador frisou a importância da obra para os amantes do futebol e para toda a população paraense.

“Estamos trabalhando para que esta praça esportiva tão especial para a sociedade do Pará possa estar moderna e segura para os seus frequentadores. Vamos ampliar a capacidade de público para mais de 50 mil pessoas, fazendo com que esse estádio seja um dos maiores do Brasil, à altura da paixão do paraense pelo esporte, particularmente pelo futebol, e que, se Deus nos permitir, possamos já no ano de 2022 entregar mais essa obra à população paraense”, destacou o governador. A última reforma no cinquentenário Mangueirão foi realizada em 2002. 

MESQUITA

Há 26 anos, o gramado do Estádio Estadual Jornalista Edgar Augusto Proença, o Mangueirão, recebe os cuidados e manutenção de Raimundo Nonato Mesquita, ou apenas Mesquita, para os torcedores do Clube do Remo que vivenciaram momentos de emoção nas décadas de 70 e 80, com os passes e jogadas do meia-direita azulino. Ele conta que, em 1979, o Mangueirão recebia cerca de 45 mil expectadores em jogos de RexPa e, emocionado, recorda alguns dos momentos inesquecíveis vividos no estádio ao qual, hoje, dedica, com amor, o seu empenho e profissionalismo.  

“Nós fomos treinar na granja Manoel Ribeiro, em Santa Izabel, e quando estávamos a caminho do Mangueirão, para ir disputar o REXPA, o ônibus deu prego na estrada. O jogo estava marcado pra começar às 16h e o ônibus parou por volta de 14h30. A torcida que estava na estrada, também vindo pro Mangueirão, parou pra empurrar o ônibus. Nós viemos e, quando chegamos aqui, o time do Paysandu já estava fazendo o aquecimento e tivemos que ir direto para o vestiário sem aquecer. O nosso rival, que jogava pelo empate, fez um gol e nós viramos o jogo pra dois a um e fomos tricampeões”, lembrou  o ex-jogador. 

Aos 69 anos de idade, Mesquita atua na Secretaria Estadual de Esporte e Lazer como engenheiro agrônomo, especializado em gramado, drenagem e irrigação. O orgulho em fazer parte da história do Mangueirão equivale à felicidade de saber que o estádio que faz parte da sua vida e história será reconstruído e modernizado para trazer ainda mais alegria ao povo paraense.

“Eu estou imensamente feliz. Sem palavras para descrever o que estou sentindo. O Mangueirão é a extensão da minha casa. É o meu lar também. Eu venho pra cá com uma satisfação enorme em poder trabalhar aqui. O governo do Pará está de parabéns por reformar o Mangueirão, pois precisamos ser inseridos no calendário da CBF. Com essa reforma, com certeza teremos acesso a grandes jogos, inclusive, da Seleção Brasileira”, comentou Mesquita.

MEMÓRIA

“Para nós da Sedop, é uma satisfação enorme em poder concluir o processo de uma obra tão importante, pois o estádio encontra-se em uma situação delicada. Estruturalmente é uma obra perfeita que requer os devidos cuidados. O trabalho não afetará as características do estádio. Vamos respeitar a história e a memória que ele tem e traz para todos nós. É um projeto feito por engenheiros e arquitetos componentes da equipe de governo, da Sedop. Será um ano e meio de obra extensa”, explicou o secretário de desenvolvimento urbano e obras públicas, Ruy Cabral.  

A obra envolverá a retirada de parte dos estacionamentos internos, para ampliar as áreas de circulação, principalmente para escoamento do público, ampliando as rotas de saída; e também a reforma geral dos banheiros e bares em todos os níveis, com substituição do piso, colocação de revestimentos e troca de todas as louças e metais sanitário existentes.  O estádio será adaptado para as atuais normas de acessibilidade, de forma a garantir a entrada de pessoas com deficiência e mobilidade reduzida no estádio, com mais tranquilidade, e será feito o recondicionamento do campo de jogo, com substituição total do gramado, sistema de drenagem e camadas drenantes, objetivando a melhoria do escoamento.

Também haverá a criação de um corredor de acesso unificado entre delegações e árbitros, para entrada em campo, e mudança no prédio das catracas e bilheterias, separando-as em edificações distintas, com o objetivo de dar fluidez para a compra de ingressos e entrada ao estádio.

Além disso, serão construídos banheiros masculino e feminino na circulação superior das arquibancadas e haverá mudança dos vestiários dos árbitros para o lado dos vestiários dos atletas e será criado vestiário para árbitro feminino. A modernização do Novo Mangueirão adequará os espaços para atender às normas atuais da CBF e também contará com a criação de uma zona mista entre clubes e imprensa e construção de cobertura em estrutura metálica e telha translúcida, junto à cobertura existente, em função do prolongamento das cadeiras.

HISTÓRIA

Graciete Maúes, presidente da Tuna Luso Brasileira, primeira mulher a presidir um dos maiores clubes do cenário esportivo do estado, também comemorou a iniciativa do governo em promover a reconstrução do estádio.

“Essa obra vem para contemplar a população, os clubes e os fanáticos pelo mundo do futebol. O Mangueirão precisava dessas adaptações para poder receber jogos de cunho nacional. Vamos voltar a ter grandes jogos”. 

“Tenho a certeza que esta obra entrará para a história. O Mangueirão será um estádio de primeiro mundo.  Agradeço a todos os servidores da SEEL que desempenharam com afinco e fizeram um grande trabalho ao longo desses anos”, relatou o secretário de Esporte Lazer Arlindo Silva.

Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)
MAISACESSADAS