Notícias / Notícias Pará
BELÉM

Sinjor pede ajuda para jornalista em meio ao caos na Unimed 

A família teve que usar recursos próprios para contratar uma médica e está arcando com medicamentos.

domingo, 21/03/2021, 21:28 - Atualizado em 21/03/2021, 22:52 - Autor: Redação


Pacientes relatam cenas de horror na Unimed Batista Campos e Doca.
Pacientes relatam cenas de horror na Unimed Batista Campos e Doca. | Reprodução

A situação da Unimed Batista Campos é dramática. O Sindicato dos Jornalistas no Estado do Pará (Sinjor-PA) denunciou a unidade neste domingo (21), após tomar ciência do estado grave de saúde da jornalista Lucélia Fernandes Damasceno Silva, 64, internada na unidade desde o dia 16 de março de 2021, com covid-19.

De acordo com informações repassadas pela filha da jornalista, a unidade Unimed Batista Campos estaria sem estrutura adequada para o atendimento da paciente. Por causa da situação de colapso, a família teve que usar recursos próprios para contratar uma médica pneumologista para cuidar da paciente e está arcando com os custos de alguns medicamentos, como antibióticos. Além disso, a unidade não estaria dando suporte de enfermeiros.

Diante disso, o Sinjor-PA informou que entrou em contato com a diretoria executiva da Unimed Belém, por meio de ofício, e pediu explicações da estrutura de atendimento à paciente, como fornecimento de medicamentos, de equipamentos, e da equipe médica que está atendendo a jornalista, e que tomem medidas urgentes para resguardar o estado de saúde dela. O sindicato aguarda retorno.

O sindicato informou ainda que enviou cópias do ofício para a Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS, para o Ministério Público do Estado - MPPA, para a Comissão de Saúde da Ordem dos Advogados do Brasil - Seção Pará - OAB PA, para os procedimentos cabíveis. 

Veja a nota do Sinjor na íntegra!

"O Sinjor-PA pretende reunir nesta segunda-feira (22) com a Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Pará (OAB-PA) para que juntos as entidades possam denunciar o descaso com os pacientes na Unimed que sofrem esperando por um atendimento digno durante a pandemia de covid-19.

As entidades pretendem buscar os órgãos competentes para que os procedimentos legais cabíveis sejam tomados para obrigar o plano de saúde a prestar todo o apoio necessário aos pacientes e familiares dos internados.

O Sinjor-PA reforça que continuará acompanhando de perto o caso da jornalista Lucélia Fernandes.

Sindicato dos Jornalistas no Estado do Pará (Sinjor-PA)

Belém, 21 de março de 2021"

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS