Notícias / Notícias Pará
VEJA COMO ESTÁ A VACINAÇÃO NA SUA CIDADE

Das 626 mil doses entregues, municípios só usaram 400 mil

Do total de vacinas distribuídas pelo Governo do Estado Pará, mais de 250 mil ainda não foram aplicadas na população pelas prefeituras. 309.09O doses foram utilizadas na primeira etapa e 91.055 na segunda.

terça-feira, 23/03/2021, 18:34 - Atualizado em 24/03/2021, 17:53 - Autor: Paloma Lobato


Imagem ilustrativa da notícia: Das 626 mil doses entregues, municípios só usaram 400 mil
| Pedro Guerreiro/Agência Pará

A vacinação contra a Covid-19 tem avançado no Pará, mas o processo de imunização da população tem encontrado dificuldades na logística de aplicação realizada pelos municípios. Do total de 626.131 vacinas distribuídas pelo Governo do Pará aos 144 municípios do Estado, apenas 400.145 doses foram aplicadas na população até hoje. Assim, um total de 255.986 vacinas estão em território paraense, mas ainda sem uso.

Os dados são do vacinômetro oficial da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), que recebe as vacinas enviadas pelo Governo Federal e distribui às prefeituras, responsáveis por realizar a vacinação. A distribuição dos imunizantes tem sido feita de acordo com a população de cada município, levando em consideração o avanço da Covid-19 em cada região do Estado, como é o caso da Região Metropolitana de Belém, que tem sofrido com a falta de leitos para pacientes com a doença e que hoje se encontra em lockdown. 

Um documento emitido pela Sespa, com base nos dados enviados pelos municípios diretamente ao Ministério da Saúde, mostra que alguns municípios possuem uma grande disparidade entre o número de vacinas recebidas e população imunizada.

A cidade de Tracuateua, por exemplo, já recebeu 1.265 doses de imunizantes, mas vacinou, até o momento, apenas 576 pessoas. Já o município de Salinópolis, que também fica localizado na região do Rio Caetés, recebeu 1.483 doses e imunizou somente 954 moradores.

Na região do Araguaia, São Félix do Xingu está entre os que mais impressionam no quantitativo: o município recebeu 3.160 doses e aplicou em apenas 912 pessoas. No entanto, é importante ressaltar que o município do Xingu  possui a sétima população indígena do Pará, com 1.046 pessoas. Os indígenas são considerados grupo prioritário de vacinação e suas doses garantidas no primeiro envio do imunizante às cidades paraenses , mas a sua imunização é de responsabilidade da Fundação Nacional da Saúde (Funasa) sob demanda da Fundação Nacional do Índio (Funai), que recebem das prefeituras as doses necessárias para atender a população indígena.

Por meio de informações repassadas pela Secretaria de Saúde, a prefeitura de São Félix do Xingu afirmou que o município recebeu 1.986 doses de vacinas, excluindo as destinadas para a população indígena, e tem, até esta quarta-feira (24), em estoque, 463 doses (incluindo zona urbana e zona rural). 

Ainda de acordo com a prefeitura de São Félix do Xingu, foram aplicadas 1.252 doses de vacinas no município. Foram contabilizadas as perdas de 32 doses, segundo a prefeitura.

VEJA O QUANTITATIVO DA POPULAÇÃO INDIGENA QUE SERÁ VACINADA NO PARÁ

 

|
 

Segundo dados coletados, na tarde desta quarta-feira (24), no site do Ministério da Saúde com dados da Covid-19, a Funasa informou, apenas, que foram utilizadas 62 doses em indígenas na cidade de São Felix do Xingu.

Na mesma a região do Araguaia,  Santana do Araguaia obteve 1.168 doses e distribuiu a somente 554 cidadãos.  Por meio de entrevista ao portal DOL, a coordenadora de Vacinação de Santana do Araguaia, Sarah Paraguassú, informou que o município recebeu 1.138 doses e aplicou, até terça-feira (23), 629 delas. 

Sarah explicou que parte dos imunizantes ainda não aplicados é destinada à segunda dose das pessoas já vacinadas. De acordo com a prefeitura de Santana, foram vacinados: indígenas desaldeados, idosos institucionalizados e idosos da população em geral (a partir de 80 anos), além de profissionais de saúde. 

“O processo [de vacinação] fica mais lento também por causa dos agendamentos que fazemos. Muitos idosos já são cadastrados nos postos, mas há alguns [idosos] em que a demanda surge da família. Alguns desses idosos recusam a vacina, e fazemos um processo de diálogo. A equipe espera, e depois volta e aplica a vacina quando o idoso muda de ideia”, explica Sarah.  

SANTARÉM 

Nos municípios do Baixo Amazonas, Santarém segue na liderança das cidades que não têm seguido um bom ritmo de vacinação. A diferença das doses recebidas para as vacinas aplicadas é de quase 10 mil. Das 31.896 vacinas recebidas, apenas 21.910 pessoas receberam o imunizante. 

Por meio de nota, a Prefeitura de Santarém informou "que já aplicou 22.750 doses de vacinas contra a covid-19 desde o dia 19 de janeiro de 2021" e que "a faixa etária a partir de 66 anos, cujo público alvo total soma 20.499 pessoas". 

"O município recebeu até o momento 31.896 doses de imunizantes entregues pelo governo do estado do Pará. Desse total, 7.676 doses foram entregues ao Dsei Tapajós Sesai/MS responsável pela vacinação dos indígenas", informou o texto da prefeitura. 

"A maior dificuldade logística está nas regiões mais afastadas: de rios, várzea e planalto, realidade de toda a cidade amazônica. As regiões estão recebendo imunizantes em suas UBSs e, na região de várzea, faz-se até ‘drive thru fluvial", considerou representantes da Prefeitura de Santarém por meio da nota. 

Ainda em Santarém, segundo dados do Ministério da Saúde, a vacinação de indígenas anda bem. Já foram utilizadas 2.821 doses para uma população de 3.756. Santarém possui a segunda maior população indígena do Estado.

Também no Oeste do Pará, Belterra tem deixado a desejar na aplicação das vacinas. Das 2.015 doses enviadas para a cidade, apenas 923 já foram aplicadas na população.  

Já na região do Carajás, podemos destacar o município de Bom Jesus do Tocantins, que recebeu 1.736 vacinas e imunizou 546 pessoas. Outro exemplo é a cidade de São Geraldo do Araguaia, que vacinou apenas 321 pessoas, sendo que recebeu 1.616  doses do imunizante. 

No Marajó, Cachoeira do Arari recebeu 1.102 doses e distribuiu somente a 563 pessoas. Ainda na mesma região, a cidade de Gurupá também se destaca. Apenas 925 moradores receberam as 1.444 vacinas recebidas do Governo do Estado. A reportagem do DOL tenta contato com a prefeitura de Cachoeira do Arari, sem sucesso, até a tarde desta quarta-feira (24). . 

Na região do Tocantins, o município de Baião 'chama a atenção' na distribuição das vacinas. A cidade recebeu 1.495 vacinas e aplicou apenas 791 na população. 

A capital paraense também está entre os municípios com atraso. O município recebeu, até o momento, 248.646 doses de vacina e distribuiu a 141.275 moradores. É importante ressaltar que a vacinação na cidade se intensificou devido ao aumento na procura por leitos no município, que sobrecarregou a rede municipal de saúde. A Prefeitura informou que a diferença se dá por conta da última remessa de doses e que será imunizada, até domingo, toda população da capital na faixa etária entre 60 e 67 anos. 

Os municípios de Marabá, Capitão Poço, Anapu, Senador José Porfírio e Vitória do Xingu apresentaram uma discrepância de dados, informando ao Ministério da Saúde um números de vacinados superior ao número de doses recebidas do Governo do Pará. Marabá, que recebeu 8.822 dose, informou ao Ministério da saúde, de onde são compilados os números, que tinha vacinado 10.425 habitantes. 

Uma fonte da Sespa afirma que, possivelmente, os municípios informaram ao ministério doses duplicadas. A mesma fonte garante,  no entanto, que o próprio ministério, responsável pelo sistema, irá fazer a correção.

VEJA NA IMAGEM ABAIXO A SITUAÇÃO DA VACINAÇÃO NA SUA CIDADE

 

|
 

 

|
 

 

|
 
Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS