Notícias / Notícias Pará
FOI PARA O LIXO

Adepará apreende cerca de uma tonelada de pirarucu

Carga estava sendo transportada fora dos padrões sanitários na Região Metropolitana de Belém

sábado, 15/05/2021, 14:59 - Atualizado em 15/05/2021, 15:09 - Autor: ( com informação da Agência Pará )


O pirarucu estava sendo transportado em dois veículos cobertos apenas com lonas
O pirarucu estava sendo transportado em dois veículos cobertos apenas com lonas | Divulgação

A Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará), entre suas diversas atribuições, também fiscaliza o comércio clandestino de produtos e subprodutos de origem animal e vegetal sem a rotulagem e a embalagem adequadas, o que é imprescindível para manter a saúde alimentar da população. Isso é fundamental porque fabricação, a embalagem e o armazenamento de qualquer produto de procedência desconhecida e em condições insatisfatórias podem gerar riscos à saúde.

Comida é saúde! Veja 6 alimentos que aliviam o estresse

Nesta semana a Adepará fez mais uma apreensão de carga com aproximadamente uma tonelada de pirarucu da espécie “Arapaima gigas”. A ação foi realizada por fiscais do Grupo Agropecuário Técnico, Tático e Operacional (Gatto) da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará), em parceria com a Polícia Civil da UIPP Tenoné.

O produto aprendido foi vistoriado pelo gerente de pescados da Adepará, o médico veterinário Elton Toda, que constatou diversas irregularidades sanitárias: o pescado estava sendo transportado no interior de um veículo tipo Kombi e na carroceria de uma caminhonete D20, embalados apenas com lonas plásticas. O produto foi inutilizado na presença do proprietário e posteriormente encaminhando para destruição em digestor de indústria de reciclagem de resíduos de origem animal.

 

Momento da apreensão da carga pelos fiscais
Momento da apreensão da carga pelos fiscais | Foto: Divulgação
 


“Anualmente, uma em cada 10 pessoas adoecem por doenças transmitidas por alimentos, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), e ao consumir um produto sem inspeção o consumidor corre o risco de se contaminar com bactérias, principalmente por Salmonella, Escherichia coli e Staphylococcus, causadoras de diarreia, vômito e infecção que podem levar a morte. Além disso, estabelecimentos clandestinos incorrem em crimes fiscais e ambientais. Dessa forma, a Adepará continuará realizando ações dessa natureza em defesa da saúde do consumidor e da preservação do meio ambiente”, defende a médica veterinária Adriele Cardoso, gerente do Serviço de Inspeção Estadual (SIE).

DENUNCIE

Para denúncias, você pode ligar para os telefones: (91) 3210-1101, 1105 e 1121, além de (91) 99392-4264.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS