Notícias / Notícias Pará
ACIDENTE

Homem que caiu em torre de soja no Pará tem alta médica

Ação de resgate do Corpo de Bombeiros durou quase 3 horas e foi de alta complexidade.

sexta-feira, 21/05/2021, 11:22 - Atualizado em 21/05/2021, 11:22 - Autor: Com informações do Corpo de Bombeiros


Homem precisou ser encaminhado para o hospital.
Homem precisou ser encaminhado para o hospital. | Reprodução

Desespero e agonia. Imagine você estar trabalhando e de repente ficar coberto ao cair dentro de um contêiner cheio de grãos, a ponto de precisar de todo o aparato para ser retirado do local.

E isso ocorreu no município de Tailândia, nordeste do Pará. O Corpo de Bombeiros foi acionado para resgatar um homem de 20 anos, que ficou soterrado no silo de grãos de soja, com aproximadamente 25m de altura e 12m de diâmetro.

Ele recebeu alta, após ter sido levado para o hospital. O resgate durou cerca de três horas.

A operação de resgate foi realizada em conjunto pelo Corpo de Bombeiros Militar do Pará e a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil que terminou com excelência.

A vítima caiu de uma passarela superior ao silo.

Um vídeo divulgado pelo Corpo de Bombeiros mostra o resgate.

ASSISTA!

A operação de resgate precisou de dois bombeiros que acessaram o interior da torre de grãos pela parte de cima, mantendo contato direto com o homem. A intenção era garantir a estabilidade, deixando-a com a cabeça livre dos grãos e dessa forma poder respirar e manter-se consciente. Externamente ao silo, outra fração da equipe de resgate, efetuaram a abertura com os de uma passagem rente ao solo, com o auxílio de equipamentos de corte (moto esmeril e outros) visando retirar toneladas de grãos de soja a ponto de permitir a entrada dole um BM para auxiliar e fornecer oxigênio para a vítima.

 

| Reprodução
 

 

| Reprodução
 

Com o auxílio de cordas e outros equipamentos a vítima foi suspensa e pela passagem aberta rente ao solo foi concluído o resgate da vítima.

O homem foi levado para o Hospital Geral de Tailândia, de onde já recebeu alta médica.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS