Notícias / Notícias Pará
OPERAÇÃO ARIANA

Jovem desempregada movimenta R$ 5,5 milhões em Belém

A polícia civil já cumpriu cinco mandados de busca e apreensão, sendo três em residências e dois em sede de empresas.

quarta-feira, 26/05/2021, 14:06 - Atualizado em 26/05/2021, 14:06 - Autor: ( com informação da Agência Pará )


Momento em que agentes investigavam a casa da suspeita.
Momento em que agentes investigavam a casa da suspeita. | Foto: Reprodução / DECOR-PC PA

Infelizmente a lavagem de dinheiro tem se tornado uma prática muito comum. Ela é basicamente utilizada para encobrir a origem de dinheiro ilegal. Na prática, consiste em um esquema para fazer parecer que recursos obtidos por meio de atividades ilícitas, vieram de atividades exatamente contrária.

Operação da PF tem tiros e clima de guerra em Jacareacanga

Na manhã de hoje (26), a Polícia Civil do Pará realizou operação “Ariana”. Foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão, sendo três em residências e dois em sede de empresas, na capital paraense.

O que mais se estranhou e que foi o pontapé para a investigação, foi a movimentação milionária por uma estudante de 27 anos, que não tem renda declarada. De acordo com relatório do Conselho de controle de atividades financeiras (COAF), no período de janeiro de 2018 a janeiro de 2020, a movimentação bancária da desempregada soma mais de R$ 5,5 milhões.

Segundo as apurações, o dinheiro chegou a conta da estudante de duas formas: por meio da modalidade crédito, que totalizou R$ 2.999.940,00 e operações em débito, que somou R$ 2.544.649,00. 

As buscas começaram por volta de 6h e aconteceram nas residências dos investigados, bem como em empresas possivelmente ligadas ao suspeitos. Foram apreendidos aparelhos celulares, documentos e dispositivos de armazenamento. Todo o material será periciado e passa a compor o inquérito policial instaurado pela Polícia Civil. 

Constatou-se também que o pai da investigada possuía procuração da mesma para realizar transações, mas o mesmo também não apresentou qualquer atividade remunerada de forma legal. 

E apesar de todo o valor milionário, pai e filha se inscreveram no programa de assistência financeira “Auxílio emergencial”, que é destinado a pessoas de baixa renda e que foram impactadas pela pandemia de Covid-19, e ambos recebiam juntos o valor mensal R$ 1,2 mil.

“A nossa Divisão Especializada neste tipo de crime recebeu está denúncia e diligenciou com perícia nas investigações e, hoje, concluímos essa etapa importante com êxito. Por aqui, nós combatemos todos os tipos de crime, do pequeno ao grande. Nosso papel é combater de forma contundente a criminalidade em todas as suas modalidades”, contou o Delegado-Geral da Polícia Civil, Walter Resende.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS