Diário Online
Edição do dia
Edição do dia
Leia a edição completa grátis
Previsão do Tempo
31°
cotação atual R$
ALIMENTAÇÃO

Café, leite e pão tiveram aumentos acima da inflação

Além disso, a manteiga também sofreu aumento.

sexta-feira, 29/10/2021, 07:33 - Atualizado em 29/10/2021, 08:00 - Autor: Denilson D’Almeida

Google News

Marcelo segura o preço do pão para não espantar os clientes, enquanto preço do trigo aumenta
Marcelo segura o preço do pão para não espantar os clientes, enquanto preço do trigo aumenta | Wagner Almeida

Para muitos paraenses, é indispensável na alimentação diária: café, leite e pão. Porém, investir dinheiro no trio está cada vez mais difícil.

Na panificadora do Marcelo Abreu, 36, o pão é vendido por unidade e custam R$0,50 cada - preço que Marcelo mantém desde fevereiro, quando não conseguiu mais segurar os custos da compra de trigo e outros ingredientes usados para fazer os pães.

“Por mês tenho uma consumação de 70 a 80 sacas de trigo. Cada saca dessa varia de R$170 a R$180, praticamente o dobro de quanto eu comprava antes desse período de pandemia”, apontou o padeiro. “O que estou dizendo é que há menos de dois anos, comprava as sacas de trigo por R$80 a R$90”, completou.

O fato de estar segurando o preço do pão que vende exige de Abreu um jogo de cintura para conseguir equilibrar os custos do negócio que mantém. “Se aumentar o preço, perco clientes e sofro um impacto nas vendas”, ressaltou.

De acordo com o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese/PA), nos últimos doze meses o preço do pão comercializado em supermercados e algumas panificadoras tradicionais de Belém aumentou 7,04%. Diferente do sistema das padarias de bairro, nestes estabelecimentos o pão é vendido por peso e no mês passado o quilo custava R$11,94. Em setembro de 2020, o quilo era R$10,94, conforme apontou o Dieese/PA. Somente este ano, o reajuste chega a 6,55%, segundo o Dieese/PA.

A manteiga também aumentou. O Dieese/PA constatou que o acumulado nos últimos doze meses chega a 17,15% no quilo do produto, enquanto que a inflação foi de 10,78% (INPC/IBGE). Em setembro de 2020 o produto era comercializado a R$40,11 o quilo. No mês passado (setembro de 2021) R$46,99.

O Dieese/PA analisou ainda a variação do valor do café nos supermercados. O quilo, no mês passado, chegou ao valor médio de R$24,61. Exatamente 45,32% mais caro que em setembro de 2020, quando o quilo do café custava R$16,66. Na prática, a trajetória do café caminhou para um acumulado que é quatro vezes maior que inflação dos últimos doze meses, que é de 10,78%. A alta no preço do café registrada nos nove primeiros meses deste ano chega a 37,40%.

Já o leite reajustou 8,51% este ano. Em janeiro deste ano, o litro do leite era vendido a R$5,30. Nove meses depois, em setembro, custava, em média, R$ 5,61.

Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)
MAISACESSADAS