Diário Online
Notícias / Notícias Pará
SEU BOLSO

Cesta básica aumentou 11% em Belém

Custo da alimentação foi de R$ 556,87 no final do ano passado, comprometendo 55% do salário mínimo da época. Café, açúcar, tomate e a carne foram os grandes vilões com reajustes que chegaram a 11,09%.

sábado, 08/01/2022, 07:31 - Atualizado em 08/01/2022, 07:30 - Autor: Redação


Segundo estudo, o valor da cesta básica na capital subiu bastante no ano passado.
Segundo estudo, o valor da cesta básica na capital subiu bastante no ano passado. | Wagner Santana/Diário do Pará

Em 2021, o valor da cesta básica aumentou nas 17 capitais onde o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) realiza mensalmente a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos. As altas mais expressivas, quando se compara dezembro de 2020 com o mesmo mês de 2021, foram registradas em Curitiba (16,30%), Natal (15,42%), Recife (13,42%), Florianópolis (12,02%) e Campo Grande (11,26%). As menores taxas acumuladas foram as de Brasília (5,03%), Aracaju (5,49%) e Goiânia (5,93%).

Em Belém, o escritório regional do Dieese no Pará revelou que a alta acumulada da alimentação dos paraenses alcançou cerca de 11%, com os aumentos puxados pelos preços do café, açúcar, tomate e carne. Em dezembro do ano passado, o custo da cesta básica foi de R$ 556,87 comprometendo na sua aquisição quase 55% do salário mínimo de R$ 1.100,00, que vigorou até 31 de dezembro.

Leia também:

Pará recebe mais 236.340 doses de vacina para reforço

Ômicron é mortal e não deve ser considerada leve, diz OMS

O balanço efetuado pelo Dieese/PA mostra ainda que no mês passado a maioria dos produtos que a compõem a cesta dos paraenses apresentou aumentos de preços, com destaque para o café com alta expressiva de 11,09%, seguido do açúcar com alta de 9,86%, tomate com reajuste de 4,09%, entre outros produtos. Ainda segundo a pesquisa, o custo da alimentação básica para uma família padrão paraense, composta de dois adultos e duas crianças, ficou em R$ 1.670,61 sendo necessários, portanto aproximadamente 1,51 salário mínimo para garantir as mínimas necessidades do trabalhador e sua família, somente com alimentação.

A pesquisa da cesta de alimentos dos paraenses, comercializada em Belém no mês passado, mostra ainda, que para comprar os 12 itens básicos o trabalhador paraense comprometeu 54,73% do mínimo e teve que trabalhar 111 horas e 22 minutos das 220 horas previstas em Lei. Em dezembro de 2021, o salário mínimo necessário para a manutenção de uma família de quatro pessoas deveria equivaler a R$ 5.800,98 ou 5,27 vezes o mínimo de R$ 1.100,00.

Segundo o Dieese/PA, de janeiro a dezembro de 2021 as maiores altas de preços ocorreram nos seguintes produtos: café, com reajuste acumulado de 69,47%, seguido do açúcar, que teve alta de 50,28%, do tomate, que subiu 20,64%, manteiga, com alta de 15,08%, e a carne, que aumentou 10,80%. Apenas o feijão apresentou recuo de preço com queda de 3,10%.

Preço da cesta básica em Belém:

 

| Diário do Pará
 


Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS