Diário Online
Notícias / Notícias Pará
FEZINHA

Apostar virou um hábito do brasileiro, confira!

Nem mesmo a crise econômica provocada pela pandemia fez com que se deixasse de tentar a sorte. E modalidades é que não faltam: vão desde as tradicionais loterias aos sites de apostas esportivas.

domingo, 13/03/2022, 08:28 - Atualizado em 13/03/2022, 08:26 - Autor: Cintia Magno/ Diário do Pará

Google News

Movimento em uma lotérica em Belém
Movimento em uma lotérica em Belém | FOTO: CELSO RODRIGUES

As estatísticas apontam que a chance de ganhar na Mega-Sena é de uma em 50 milhões, considerando a opção de aposta mínima. Independente da probabilidade, há quem não abra mão de tentar a sorte seja nos jogos disponibilizados pela loteria federal, nos títulos de capitalização com abrangência regional ou estadual e até mesmo em sites de apostas esportivas, modalidade que vem crescendo consideravelmente no país nos últimos anos.

De acordo com a última edição do boletim “Panorama do Mercado Brasileiro de Loterias”, lançado pelo Ministério da Economia, nem a crise econômica provocada pela pandemia da Covid-19 fez com que os brasileiros deixassem de confiar na sorte de, algum dia, acertar os números sorteados nas loterias. Somente em 2020, a arrecadação total de todas as loterias federais operadas pela Caixa Econômica chegou ao valor recorde de R$17,1 bilhões e a expectativa é que a arrecadação final de 2021 tenha ultrapassado os R$18 bilhões.

Por outro lado, os sites que oferecem opções de apostas esportivas também não têm o que reclamar. Legalizadas no Brasil através da Lei 13.756/2018, as casas de apostas esportivas on-line já patrocinam grande parte dos clubes de futebol da Série A do Campeonato Brasileiro e, segundo um levantamento realizado pela consultora de jogos e apostas H2 Gambling Capital, o segmento alcançou um faturamento de R$12,5 bilhões em 2020 no país.

Diante de cifras tão chamativas conquistadas por quem administra as apostas, para quem joga o que fica é a vontade de ser agraciado com pelo menos um pequeno percentual desse montante em um dos prêmios oferecidos. No caso do comerciante Paulo Evandro Araújo, 64 anos, as apostas são concentradas nas loterias federais. Há mais de 10 anos, ele se dirige à casa lotérica mais próxima para marcar a mesma sequência de números. “Por enquanto eu nunca ganhei nada, mas a gente tem que acreditar”.

Ele conta que costuma repetir a mesma sequência de números tanto nos jogos da Mega-Sena, quanto da Lotofácil. “Se um dia eu ganhar na Mega-Sena o que eu penso em fazer é ajudar a minha família, as pessoas que são mais próximas de mim e que precisam, e também viver a vida tranquilo, sem preocupação com conta no final do mês”.

 

Paulo Araújo: “A gente tem de acreditar”
Paulo Araújo: “A gente tem de acreditar” | FOTO: CELSO RODRIGUES
  

A possibilidade de ajudar as pessoas mais próximas também está nos planos da aposentada Maria Madalena, 70 anos. No caso dela, as apostas são realizadas semanalmente no Carimbó da Sorte, título de capitalização. “Eu sempre tento a sorte. Vai que um dia eu ganho, né? O dia que eu ganhar penso em ajudar a mim mesma e as pessoas que são mais próximas de mim”, pondera. “Eu compro a cartela com o número que já vem mesmo, vou na sorte”.

 

Maria Madalena pensa em ajudar a família e pessoas próximas, caso um dia ganhe
Maria Madalena pensa em ajudar a família e pessoas próximas, caso um dia ganhe | FOTO: CELSO RODRIGUES
 

Análises antes e durante os jogos ajudam nos palpites das apostas esportivas

Mais do que acertar a sequência de números, como no caso dos sorteios lotéricos, as plataformas de apostas esportivas on-line envolvem uma diversidade de palpites que podem levar a arrecadações financeiras. Para aumentar as chances de acertos, quem costuma investir nesse tipo de jogo costuma analisar muito bem o cenário dos jogos e campeonatos para escolher os palpites.

Logo quando começou a fazer parte da bolsa esportiva ou aposta esportiva, o técnico de internet Marcos André de Souza Silva, 23 anos, conseguiu fazer um bom dinheiro. Com o tempo, porém, ele percebeu que precisaria fazer as jogadas embasadas em análises para diminuir as chances de perda. “Logo no início ganhei muito dinheiro, mas foi mais na sorte porque eu não tinha muito conhecimento”, considera. “Foi quando eu conheci um rapaz que me fez virar a chave como investidor. Hoje, sim, eu já tenho um resultado bem legal com esses mercados de apostas esportivas porque faço o gerenciamento do que eu invisto”.

Marcos André explica que existem diversas análises e estratégias para melhorar a assertividade nos jogos. Dependendo da casa que a pessoa escolhe investir, é possível escolher entre as diferentes opções para aportar o dinheiro, como, por exemplo, o mercado de gols, a vitória, o favorito, a zebra, escanteio ou cartão. “Sempre você tem que acertar o que você está falando que vai acontecer. Por exemplo, se está acontecendo o jogo do Bayern de Munique contra o Red Bull Salzburg e já saíram 4 gols, quem apostou que sairia mais de dois gols na partida, já ganhou a aposta. Em outra situação, também é possível apostar em quem vai ganhar. Já a pessoa que for na Zebra, seria o Red Bull Salzburg ganhar do Bayern de Munique, mas com o Red Bull Salzburg perdendo, a pessoa que apostou na Zebra também estaria perdendo o seu investimento”, explica o paulista.

Como o conhecimento acerca do desempenho dos times nos campeonatos pode ajudar a apostar em palpites com maiores chances de se concretizar, é importante analisar o cenário dos jogos. “Você tem que trabalhar sempre com análises. Existem dois tipos de análises, a pré-live, que é antes do jogo começar e quando você vai buscar estatísticas, verificar como o time se comporta; e tem a live, que é quando o jogo está ocorrendo e você vê se, de fato, aquela estatística está ocorrendo de acordo com o comportamento do time naquela partida”, explica. “Hoje já têm empresas que já fazem esse trabalho de análise em que você paga um valor mensal ou anual e eles mandam a forma que você tem que trabalhar. Hoje em dia eu já não faço mais as minhas análises porque, devido ao meu trabalho, não tenho muito tempo para ficar analisando, então, eu procurei uma empresa que já faz as análises e envia para mim e eu basicamente só copio e colo”.

Investimento a longo prazo

Atuando na sua área, o técnico de internet aponta que a sua renda principal advém do seu trabalho. Para ele, as apostas esportivas são um investimento a longo prazo. “A minha renda principal vem do meu trabalho e uso o trade esportivo como um investimento a longo prazo porque a poupança rende pouco e nas apostas esportivas você consegue ter uma rentabilidade muito boa”, aponta. “Mas o retorno financeiro vem mais da gestão de capital do que propriamente de acertar ou errar os jogos porque, por prática, você vê que você acerta mais do que erra. Só que o problema é que, às vezes, a pessoa começa a ganhar, ganhar e ganhar e acha que nunca vai perder e é onde ela perde o que não deveria. Então, o principal é fazer uma boa gestão do capital, mais do que acertar ou errar o palpite”.

Já houve situações em que Marcos conseguiu investir R$44 e ter de retorno R$3 mil, em outros casos o investimento foi de R$100, que se transformaram em R$400, mas ele alerta que existem várias formas de atuar nos jogos esportivos – desde a moderada até mais arriscada -, o que exige cautela por parte de quem joga. “O que as pessoas mais experientes indicam? Que a pessoa entre com um valor que ela aceite perder. Por exemplo, se ela tem um valor de R$100 que não vai fazer falta para ela, então, ela entra com esse valor, já que ela está se arriscando a tornar esse valor maior, mas consciente de que pode perder ele”.

Cautela também tem o fisioterapeuta Rafael Nascimento, 25 anos. Ele começou a investir nas apostas esportivas há um ano e conta que costuma investir valores não muito altos. “Geralmente aposto em vitória, ou que ambos os times vão fazer gol. Também aposto em Basquete, na NBA, que é uma liga em que, geralmente, um time é muito melhor do que o outro, então é mais fácil de ganhar”, conta. Tem aplicativos que mostram os desempenhos dos times também, quantos gols fazem nas partidas, os últimos resultados e uso esses aplicativos para fazer a análise, além de assistir muito futebol, então, de acordo com a partida passada dos times, consigo deduzir como vai ser a próxima”.

Apesar de já ter conseguido ganhar um bom valor com os palpites nas plataformas de aposta esportiva, Rafael lembra que, assim como no caso de Marcos, a sua renda principal não vem dos jogos. “Eu já consegui, sim, ganhar dinheiro com isso. Logo que comecei estava com uma sorte muito grande, então, ganhei um bom valor. Cheguei a ganhar mais de R$1.000. Às vezes ganho um bilhete de R$200, R$300 então isso acaba sendo uma renda extra”, considera. “Eu não vivo disso, faço muito por diversão. Que fique claro que é uma renda extra, nem sempre estou ganhando. Não aposto valores tão altos por medo e por cautela também”.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS