Diário Online
Notícias / Notícias Pará
CRIME ORGANIZADO

Fábio Júnior e mais dois traficantes são presos no Pará

Com a Operação Autólito, os agentes da Divisão de Narcóticos da Polícia Civil desarticularam quadrilha que ocultava dinheiro sujo abrindo empresas de fachada.

quinta-feira, 05/05/2022, 15:54 - Atualizado em 05/05/2022, 18:54 - Autor: Sales Coimbra, com informações Sancha Luna/RBATV

Google News

Os três homens detidos responderão pelos crimes de tráfico de drogas, associação ao tráfico e porte ilegal de arma.
Os três homens detidos responderão pelos crimes de tráfico de drogas, associação ao tráfico e porte ilegal de arma. | (Foto: Reprodução)

 Duas pistolas 380, aproximadamente R$ 4 mil, aparelhos celulares, uma picape, uma moto, cigarros e drogas, além da prisão de três homens por tráfico de drogas. Este foi o saldo da “Operação Autólito”, deflagrada pela Polícia Civil de Abaetetuba, nordeste paraense, nesta quinta-feira (5).

Os detidos, identificados como Madson Guimarães farias, conhecido como "Gordo", Fábio Júnior Carvalho, o "Leão", e Ivan Moraes da Costa, pertencem a um grupo criminoso muito bem organizado. Os três serão indiciados por tráfico de drogas, associação ao tráfico e porte ilegal de arma.

LEIA TAMBÉM:

Jovem é preso com muita grana e droga em Castanhal

Vídeo: mulher usava bebê para traficar drogas em Icoaraci

O material apreendido foi levado para a Divisão de Narcóticos (DENARC), em Belém. Segundo os investigadores, as suspeitas são de que todo os produtos e bens apreendidos são de origem ilegal e fruto de contrabando.

A investigação da DENARC começou há três meses em resultado de denúncias anônimas de que os detidos possam estar envolvidos na venda e distribuição de substâncias entorpecentes. Em decorrência dessa suspeita, os agentes da Polícia Civil montaram uma operação que levou à localização da droga e dos demais materiais.

A operação que resultou na prisão dos três homens revelou que a organização criminosa utilizava uma prática sofisticada para tentar ocultar os ganhos obtidos com a venda de drogas. Ou seja, a abertura de empresas de fachada para a lavagem do dinheiro.

O nome da “Operação Autólito” faz alusão ao fragmento de lava expelida por um vulcão, já solidificada, que é envolvida por novos fluxos magmáticos sucessivos com origem na mesma erupção vulcânica.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS