Diário Online
Edição do dia
Edição do dia
Leia a edição completa grátis
Previsão do Tempo
29°
cotação atual R$
INVESTIGAÇÃO

Laudo sobre morte de macacos em Belém já tem data

Oito macacos da espécie macaco-de-cheiro (Saimiri sciureus), foram achados na rua, na última sexta-feira (3). Em nota, a Prefeitura de Belém disse que a investigação continua

segunda-feira, 06/06/2022, 17:52 - Atualizado em 06/06/2022, 17:49 - Autor: Com informações Agência Belém

Google News

Macaco-de-cheiro (Saimiri sciureus)
Macaco-de-cheiro (Saimiri sciureus) | ( Reprodução)

Na manhã da última sexta-feira (3), oito macacos foram encontrados mortos dentro e fora do Bosque Rodrigues Alves em Belém. Em nota, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) informou que os corpos dos animais da espécie macaco-de-cheiro (Saimiri sciureus), foram achados na rua, sendo que quatro deles foram encontrados em uma parada de ônibus, na avenida Almirante Barroso, esquina com a travessa Lomas Valentinas. 

Macacos são encontrados mortos no Bosque Rodrigues Alves 

Os macacos do Bosque Rodrigues Alves,  costumam aparecer nos limites do jardim botânico, onde há circulação de pessoas. Eles chamam a atenção de quem fica pelos arredores do bosque, principalmente aguardando ônibus. Muitos costumam fotografar os animais, e até alimentá-los, o que é proibido.

A Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), informa que continua no trabalho de investigações sobre as mortes dos oito macacos e que, desde aquele dia, não foi mais detectada nenhuma morte.

Mortes de oito macacos no Bosque estão sob investigação

Além disso, a Semma explica que segue o procedimento protocolar orientado pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) para a investigação da, ou das causas, das mortes. 

Os exames de necropsia estão sendo feitos pela coordenação do Laboratório de Patologia Animal do Instituto da Saúde e Produção Animal (Labopat/Ispa) da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra). Eles são acompanhados pelas veterinárias do Bosque e do Centro de Zoonoses. 

As amostras recolhidas dos animais mortos serão enviadas para o Instituto Evandro Chagas (IEC) ao término dos exames de necropsias.

Moradores investigam matilha que mata gatos em Belém

A direção do Bosque Rodrigues Alves informa que não houve captura de animais vivos. Os técnicos estão fazendo a observação do comportamento dos macacos, para verificar se há alguma anormalidade, que, caso seja comprovada, haverá o procedimento de captura e isolamento dos animais para que sejam acompanhados pelos veterinários.

Os veterinários do Bosque Rodrigues Alves estimam que o laudo, com o resultado seja divulgado no prazo de 20 dias.

Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)
MAISACESSADAS