Diário Online
Notícias / Notícias Pará
JUNINHO POP

DJ do Super Pop é alvo do MP por soltar fogos em monumento

DJ Juninho, da banda Super POP, subiu em um monumento símbolo da cidade de Afuá para soltar fogos de artifício e destruiu o patrimônio

quinta-feira, 28/07/2022, 20:11 - Atualizado em 28/07/2022, 20:57 - Autor: Com informações do MPPA

Google News

Juninho Pop: apresentação em Afuá virou alvo do Ministério Público
Juninho Pop: apresentação em Afuá virou alvo do Ministério Público | Reprodução/Portal O Marajó

O evento Festival de Verão, realizado pela Prefeitura de Muaná, no último final de semana, foi um dos eventos mais aguardados pela população da cidade que integra o Arquipélago do Marajó. Afinal, entre as atrações, nomes conhecidos do meio artístico ganharam destaque, entre eles o DJ de aparelhagem, Juninho Pop, do Super Pop.

+ Vídeo: cobra é encontrada em telhado de bar em Belém

Juninho Pop, inclusive, acabou se tornando alvo de um Procedimento Administrativo, na última segunda-feira (25), instaurado pelo Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) justamente após o show no qual participou. O motivo foi a conduta adotada durante o evento, quando subiu em um monumento símbolo da cidade para soltar fogos de artifício.

A ação foi instaurada pela Promotoria de Justiça de Muaná, que disse ter tomado as medidas para apurar a conduta e que o DJ foi notificado para prestar esclarecimentos na próxima semana.

Além dos danos ao patrimônio, o DJ também foi contra a Lei nº 9.593 de 2022, que proíbe a soltura de fogos de artifício com estampido em todo o Estado, justamente por conta dos danos ambientais provocados por eles.

Poluição sonora

Somada às atitudes adotadas pelo DJ Juninho Pop, a Promotoria já recebeu denúncias diversas de poluição sonora e queima de fogos de artifícios em outros eventos promovidos pela própria Prefeitura, eventos esses que seguem até o amanhecer.

+ Vítima é assassinada a tiros em Belém

Como resultado, o órgão expediu uma Recomendação à Prefeitura para que se abstenha de utilizar equipamentos de som instalados na forma de torre (os “paredões”) e que proíba a queima de fogos. Incluiu também que a Polícia Civil apure as infrações penais cometidas, instaurando procedimento investigativo cabível.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS