plus

Edição do dia

Leia a edição completa grátis
Previsão do Tempo 25°
cotação atual R$


home
OPERAÇÃO RETOMADA

PF mira invasor de 20 mil hectares da floresta amazônica

A Polícia Federal lançou uma ação contra o suspeito considerado o mais significativo destruidor do ecossistema da Amazônia já examinado.

Imagem ilustrativa da notícia PF mira invasor de 20 mil hectares da floresta amazônica camera Divulgação/PF

Na Operação Retomada, estão sendo executados mandados contra um indivíduo e seus familiares, acusados de invadir mais de 20.000 hectares da floresta amazônica.

Em Belém, a Polícia Federal iniciou, nesta manhã (3/8), a Operação Retomada, visando a examinar um plano de ocupação ilegal de terras federais e desflorestação para pecuária na região amazônica. A PF está executando 3 mandados de busca e apreensão ordenados pelo Tribunal Federal nas cidades de Novo Progresso/PA e Sinop/MT.

A investigação começou após a PF em Santarém/PA detectar o desmatamento de quase 6 mil hectares perto de Novo Progresso/PA. A investigação policial indica que o grupo ilegal faria o registro falso no Cadastro Ambiental Rural de terras vizinhas em nome de terceiros, principalmente parentes próximos. Depois, desflorestariam essas áreas para pecuária. Os verdadeiros envolvidos nas atividades se sentiriam a salvo de possíveis ações legais ou administrativas, direcionadas a indivíduos sem propriedades.

Até agora, a investigação policial identificou que o suspeito e seu grupo teriam tomado mais de 21 mil hectares de terras federais. Além disso, o desmatamento de mais de 6.500 hectares de floresta foi confirmado, equivalente a quase 4 Ilhas de Fernando de Noronha, com indícios de um único autor, utilizando uma enorme quantidade de recursos. Os danos ambientais são ampliados pela ocupação de terras próximas a territórios indígenas e áreas protegidas.

O suposto líder do grupo foi multado 11 vezes e sofreu 6 embargos do IBAMA por irregularidades. Análises da PF apontam para danos ambientais causados por suas atividades, inclusive na Terra Indígena Baú.

Além da emissão dos mandados, o sistema judiciário também ordenou a retenção de R$116 milhões em recursos financeiros, valor que corresponde ao mínimo estimado dos recursos florestais extraídos e necessário para a recuperação da área impactada. Além disso, foram autorizados o confisco de veículos, o bloqueio de 16 propriedades rurais e imóveis, assim como a restrição sobre 10 mil cabeças de gado.

As investigações continuam.

VEM SEGUIR OS CANAIS DO DOL!

Seja sempre o primeiro a ficar bem informado, entre no nosso canal de notícias no WhatsApp e Telegram. Para mais informações sobre os canais do WhatsApp e seguir outros canais do DOL. Acesse: dol.com.br/n/828815.

tags

Quer receber mais notícias como essa?

Cadastre seu email e comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)

plus

Mais em Notícias Pará

Leia mais notícias de Notícias Pará. Clique aqui!

Últimas Notícias