plus

Edição do dia

Leia a edição completa grátis
Previsão do Tempo 26°
cotação atual R$


home
NOTÍCIAS PARÁ

Servidores estaduais param atividades por 48 horas

Indignados com a decisão do Governo de não reajustar seus salários este ano, servidores estaduais pararão as atividades por 48h, hoje e amanhã. A decisão foi tomada no último dia 28, durante assembleia na Escola de Educação Física, em Belém. Com a paralis

Indignados com a decisão do Governo de não reajustar seus salários este ano, servidores estaduais pararão as atividades por 48h, hoje e amanhã. A decisão foi tomada no último dia 28, durante assembleia na Escola de Educação Física, em Belém. Com a paralisação, a categoria quer tentar uma nova negociação com representantes do governador Simão Jatene (PSDB). O ato já é um indicativo de greve.

O protesto deve atingir 18 categorias do funcionalismo público, entre elas Educação, Saúde e Trânsito. A partir das 9h, os servidores devem se reunir em frente à Secretaria de Administração do Estado (Sead), na travessa do Chaco, no Marco. Na semana passada, foi enviada uma solicitação de audiência com os representantes do órgão para discutir as demandas dos servidores.

“Eles já estão sabendo que nós vamos lá para buscar um posicionamento do Governo”, disse Alberto Andrade, coordenador geral do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Pará (Sintepp). Amanhã, as manifestações continuam. Dessa vez, os servidores prometem ir para a frente do Instituto de Assistência dos Servidores do Estado (Iasep), na Dom Romualdo de Seixas, no Umarizal. O protesto é contra o sucateamento do plano de saúde dos funcionários públicos. Os trabalhadores têm 8% dos seus salários descontados para o plano. Porém, a assistência é considerada precária.

PAUTA

“A nossa pauta pede melhoria e condições dignas de trabalho, além de uma boa assistência médica”, destacou Alberto. Em 19 de abril, a secretária de Administração Alice Viana anunciou que, devido ao corte nas despesas do Estado, os servidores que ganham acima de 1 salário mínimo não teriam reajustes em 2016. O único benefício concedido foi o aumento do vale-alimentação em R$100. O anúncio os deixou insatisfeitos.

"Nossa pauta pede condições dignas de trabalho, além de uma boa assistência médica", afirmou Alberto Andrade, coordenador do Sintepp. (Foto: Alzyr Guimarães)

Os policiais civis e militares, incluindo os bombeiros, não participarão da manifestação de hoje, mas farão uma caminhada no próximo domingo, às 9h, saindo da escadinha da Estação das Docas e seguindo até a Praça da República.

A Secretaria de Estado de Administração (Sead) afirma que as reivindicações dos sindicatos causariam um impacto no pagamento da folha de R$ 900 milhões ao mês e que o Governo, apesar da crise, paga o funcionalismo em dia. O texto lembra que o Governo concedeu aumento no vale-alimentação de R$ 100. Os da Polícia Militar e dos Bombeiros, segundo o Governo, tiveram aumento no auxílio de 71,5% este ano. Também destaca que, desde 2011, o Governo nomeou 14 mil aprovados em concursos públicos.

REIVINDICAÇÕES DOS SERVIDORES

Reajuste salarial de 30%
Manutenção de vantagens trabalhistas no período de licenças
Reajuste das diárias com base na inflação do período 2007/2016
Incorporação de abono salarial para servidores com ensino médio
Reposição de perdas salariais históricas que somariam 60%
Realização de concurso
Reajuste do auxílio-alimentação entre 25% e 50%,
Nomeação dos concursados
Implantação doPlano de Cargos, Carreira e Remunerações dos servidores

(Roberta Paraense/Diário do Pará)

VEM SEGUIR OS CANAIS DO DOL!

Seja sempre o primeiro a ficar bem informado, entre no nosso canal de notícias no WhatsApp e Telegram. Para mais informações sobre os canais do WhatsApp e seguir outros canais do DOL. Acesse: dol.com.br/n/828815.

Quer receber mais notícias como essa?

Cadastre seu email e comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)

plus

Mais em Notícias Pará

Leia mais notícias de Notícias Pará. Clique aqui!

Últimas Notícias