plus

Edição do dia

Leia a edição completa grátis
Previsão do Tempo 30°
cotação atual R$


home
POLÍCIA

Fazenda Mutamba, em Marabá, é invadida e depredada

Um grupo invadiu e depredou, na madrugada de ontem (23), imóveis e equipamentos da fazenda Mutamba, localizada na zona rural de Marabá, no sudeste paraense. A Polícia Civil foi acionada para verificar a atual situação, mas não há detalhes sobre o ataque.

Um grupo invadiu e depredou, na madrugada de ontem (23), imóveis e equipamentos da fazenda Mutamba, localizada na zona rural de Marabá, no sudeste paraense. A Polícia Civil foi acionada para verificar a atual situação, mas não há detalhes sobre o ataque. Agentes da Delegacia de Conflitos Agrários (Deca) já estão apurando o ocorrido. A fazenda é marcada por uma série de conflitos e invasões nos últimos anos. Por volta das 20h30 de ontem, os invasores voltaram a depredar a fazenda e o clima permanece tenso na área.

Em 2012, um grupo foi preso durante uma ação de reintegração de posse. No ano passado, gerentes da propriedade já temiam e relataram ameaças feitas por trabalhadores rurais de acampamentos na região. No último dia 16 de maio, uma ação de reintegração de posse para a Mutamba foi expedida pelo juiz titular da Vara Agrária de Marabá Amarildo José Mazuti, e foi executada por equipes da Polícia Militar. Na ocasião, pelo menos 8 fazendas receberam autorização de reintegração de posse nas regiões sul e sudeste do Pará.

As reintegrações começaram pelas fazendas Pontal II, em Eldorado dos Carajás e Serra Norte, em Curionópolis. Em Marabá, a Mutamba foi reintegrada e em Nova Ipixuna, a Muriaé. A Mutamba pertence ao espólio do falecido pecuarista Aziz Mutran.

Veja imagens da destruição na fazenda.

REPETIÇÃO

O temor é que o histórico de invasões à Mutamba seja como o da outra fazenda da região, a Cedro. No dia 29 de dezembro de 2015, homens armados entraram na fazenda e mataram indiscriminadamente 16 vacas receptoras embrionárias usadas na reprodução de bezerros de raça, aguardando transferência para tratamento especializado, todas prenhas. No dia 1º de janeiro de 2016, o bando entrou novamente na fazenda e matou mais 29 vacas, gerando um prejuízo de cerca de R$ 270 mil reais.

A atrocidade chocou devido à crueldade, pois, além de matar os animais, o bando cortou a barriga das vacas e retirou os bezerros que estavam sendo gerados, levando apenas as partes nobres dos animais. Ainda nesse período, vândalos atearam fogo em 11 casas de trabalhadores, inclusive na sede da fazenda. Em março, um grupo de cerca de 60 homens armados de espingardas invadiu o escritório, laboratórios e alojamentos dos funcionários da fazenda Cedro.

DISPUTA POR TERRAS

De acordo com o juiz da Vara Agrária de Marabá, Amarildo José Mazutti, existem aproximadamente 40 processos de desocupação de terra para a região, sendo 10 já desocupadas às proximidades de Marabá.

Segundo informações da Comissão Pastoral da Terra (CPT), em praticamente todos os municípios do Estado existem um ou dois casos de conflitos por terra. Outras situações gravíssimas ocorrem no município de São Félix do Xingu, no complexo Divino Pai Eterno e Complexo Santa Terezinha.

Em Marabá, além da Cedro, existe ocorrências na Fazenda Mutamba. Na região de Carajás, existe uma tensão grave na Fazenda Santa Clara no município de Parauapebas e em terras adquiridas pela Vale no Município de Canaã e na Fazenda Fazendinha.

(Diário do Pará/Sucursal de Marabá)

VEM SEGUIR OS CANAIS DO DOL!

Seja sempre o primeiro a ficar bem informado, entre no nosso canal de notícias no WhatsApp e Telegram. Para mais informações sobre os canais do WhatsApp e seguir outros canais do DOL. Acesse: dol.com.br/n/828815.

Quer receber mais notícias como essa?

Cadastre seu email e comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)

plus

Mais em Polícia

Leia mais notícias de Polícia. Clique aqui!

Últimas Notícias