Diário Online
Edição do dia
Edição do dia
Leia a edição completa grátis
Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$
SEM NECESSIDADE

PF mostra que voto impresso pode custar R$ 2 bilhões

Análise foi feita por documento da Polícia Federal realizado em 2016.

quarta-feira, 04/08/2021, 10:00 - Atualizado em 04/08/2021, 10:00 - Autor: Com informações da CNN BRASIL

Google News

Mais um motivo colabora para provar a importância de se manter a votação eletrônica.
Mais um motivo colabora para provar a importância de se manter a votação eletrônica. | Fotos: Agência Brasil

As urnas eletrônicas fazem parte das eleições brasileiras há 25 anos, mais o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), não parece estar satisfeito com o modelo. Bolsonaro acusa as urnas de não serem confiáveis e alega que houve fraudes na votação de 2018, a mesma em que ele se elegeu.

O portal da CNN conseguiu ter acesso ao relatório que peritos da Polícia Federal fizeram sobre as urnas eletrônicas referente as  eleições municipais de 2016.

No documento, a Polícia Federal apontou que a impressão do voto é "procedimento satisfatório para atender ao requisito de auditoria", mas que, além de encarecer o processo, a iniciativa cria maior possibilidade de "falha mecânica".

Voto impresso pode custar até R$ 12,5 milhões ao Pará

Live com fakes sobre urnas teve especialista misterioso

A estimativa é que a adoção do voto impresso auditável, previsto em uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que tramita na Câmara dos Deputados, tenha um custo de cerca de R$ 2 bilhões, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Os defensores da medida, no entanto, afirmam que o orçamento da Justiça Eleitoral tem capacidade para arcar com o valor.  

Em 2015, o Congresso Nacional aprovou a impressão do voto. A então presidente Dilma Rousseff (PT) vetou a previsão, mas teve sua decisão derrubada pelo Poder Legislativo. Em 2018, no entanto, o STF (Supremo Tribunal Federal) suspendeu a medida.

Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)
MAISACESSADAS