Diário Online
AJOELHOU, TEM QUE REZAR

Casal faz sexo em altar de igreja e fiéis se revoltam

A identidade do casal ainda é desconhecida. Imagens circularam em grupos de WhatsApp e chegaram à administração da igreja de São Miguel

sexta-feira, 05/11/2021, 10:33 - Atualizado em 05/11/2021, 10:33 - Autor: Com informações do Daily Star


Igreja na Bélgica onde um casal filmou suas aventuras sexuais
Igreja na Bélgica onde um casal filmou suas aventuras sexuais | Google Maps

Um casal pode estar em sérios apuros depois de se filmar fazendo sexo dentro de uma igreja na Bélgica. Os abençoados foram vistos, aparentemente, durante relação sexual ao estilo “cachorrinho” em um altar. Agora, o caso está sendo investigado pela polícia local.

O vídeo, que se espalhou em diversas redes sociais, causou indignação. As imagens foram gravadas na Igreja Sint-Michielskerk (São Miguel), na cidade de Bree. A filmagem mostra uma mulher ruiva, nua, curvada enquanto o homem a filma por trás. Ele parece estar filmando com uma mão, enquanto a outra pode ser vista ocasionalmente apalpando a cintura da parceira.

 

Igreja na Bélgica onde um casal filmou suas aventuras sexuais
Igreja na Bélgica onde um casal filmou suas aventuras sexuais | Google Maps
 

A identidade do casal ainda é desconhecida e não se sabe se a filmagem foi postada propositalmente ou vazou. Também não está claro quando o encontro aconteceu. Contudo, os frequentadores da igreja acreditam que possa ter acontecido em 27 de outubro.

Bombeiros são acionados para remover “corpo” e têm surpresa

Reportagens locais sugerem que o vídeo começou a ser distribuído pelo WhatsApp. A igreja, que pretendia tratar do assunto "discretamente", é um edifício aberto constantemente ao público.

Segundo o site de notícias Het Nieuwsblad, a polícia está investigando o incidente como pornografia em local público e divulgação das imagens. A prefeita de Bree, Liesbeth Van der Auwera, disse: "A polícia anunciou que um relatório duplo foi oficialmente redigido".

O porta-voz da Igreja Sint-Michielskerk, Ernest Essers, disse que recebeu o vídeo, pelo WhatsApp, no dia 29 de outubro. Ele afirma que o incidente filmado "ultrapassou todos os limites de decência, respeito e justiça".

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS