DOL Carajás
Cidades / Marabá
ROTA UNIVERSITÁRIA

Câmara fará audiência para ouvir população sobre coletivos

Estudantes e acadêmicos da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) reclamam da falta de rotas e ônibus para atender a demanda. Entre os usuários, a reclamação é geral

terça-feira, 03/05/2022, 09:46 - Atualizado em 03/05/2022, 16:47 - Autor: DOL Carajás com Ascom Unifesspa

Google News

A alta demanda de passageiros na cidade a falta até mesmo de ônibus para atender todas as rotas resultam em reclamação, agora por parte dos estudantes da Unifesspa
A alta demanda de passageiros na cidade a falta até mesmo de ônibus para atender todas as rotas resultam em reclamação, agora por parte dos estudantes da Unifesspa | Divulgação

Os problemas de mobilidade urbana tem afetado a maioria das cidades do Brasil e o transporte coletivo é o motivo principal de reclamação por parte dos cidadãos. Na capital paraense, o problema acabou resultando em uma paralisação geral na manhã desta terça-feira (3), deixando mais de um milhão de pessoas sem locomoção.

Em Marabá no sudeste paraense o problema é a falta de ônibus, apesar de a prefeitura ter anunciado aumento da frota e ônibus com ar condicionado na cidade. 

Entretanto, a alta demanda de passageiros na cidade e a falta até mesmo de ônibus para atender todas as rotas resultam em reclamação, agora por parte dos estudantes, acadêmicos, e educadores da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa).

Na semana passada o reitor da Unifesspa, Francisco Ribeiro, e a vice-reitora, Lucélia Cavalcante, estiveram reunidos com a Comissão de Educação da Câmara Municipal de Vereadores de Marabá, formada por Marcelo Alvez e Eloi Ribeiro. A reunião teve o objetivo de ampliar a discussão a respeito do transporte público, especialmente, da frota de ônibus que faz a rota universitária concomitante ao restante da rota da cidade. A partir da reunião, foi articulada uma audiência pública na Câmara de Vereadores, que será aberta a todos os interessados, para o dia 5 de maio, às 9h.

A Unifesspa apresentou à Comissão uma série de questões que têm sido apontadas por alunos que utilizam o transporte público, como: superlotação dos ônibus; rotas insuficientes; poucos ônibus; não funcionamento do bilhete único de integração, entre outros. No último dia 20 de abril, ocorreu um ato de protesto, organizado pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Unifesspa, para pedir melhorias no transporte para a comunidade da Unifesspa e para toda a cidade. O ato teve apoio de sindicatos e da população marabaense.

Veja também!

Mais de 1 milhão de pessoas ficam sem ônibus na Grande Belém

Postos terão que mostrar preços com duas casas decimais

Nome fica limpo depois de 5 anos de dívida? Verdade ou Mito?

Na oportunidade, o reitor da Unifesspa falou sobre as dificuldades que os discentes têm enfrentado para assistir as aulas e apontou a falta de confiança dos alunos transporte público. "A demanda do transporte já é histórica para a comunidade da Unifesspa. Precisamos contribuir com o debate sobre mobilidade urbana e garantir a oferta de um serviço público que contemple e realidade de estudantes e servidores".

De acordo com o vereador Eloi Ribeiro, o motivo pela demora na construção do Terminal de Integração foi a desistência da primeira empresa responsável pela obra. O vereador informou, ainda, que uma nova licitação está sendo feita.

Com o intuito de contribuir com soluções para melhorar o sistema de transporte público de Marabá, a reitoria da Unifesspa propos que a instiuição colabore no desenvolvimento de um sistema para monitoramento do ônibus por GPS, algo que traga benefício para toda comunidade.


Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS