DOL Carajás
Edição do dia
Edição do dia
Leia a edição completa grátis
Previsão do Tempo
28°
cotação atual R$
NÃO PERDOA PRESA

Onça-pintada é 'cancelada' após caçar capivara no Pantanal

Fotos raras registradas por acadêmico causaram humor e discussões sobre a natureza

quarta-feira, 13/04/2022, 18:36 - Atualizado em 13/04/2022, 18:39 - Autor: ( Com informações R7 )

Google News

Onça-pintada não costuma perdoar presa
Onça-pintada não costuma perdoar presa | REPRODUÇÃO/BIODIVERSIDADEB

A onça-pintada (Panthera onca) é um dos maiores felinos do mundo e um predador voraz. Possui mandíbula mais poderosa que a de tigres e leões, o que a torna capaz de quebrar a cabeça de um jacaré ou cascos de tartaruga.

Nem essas habilidades predatórias parecem ter feito alguns entenderem que a onça caça. O animal não costuma perdoar uma presa dando sopa.

 

Imagem repercutiu nas redes sociais
Imagem repercutiu nas redes sociais | REPRODUÇÃO/BIODIVERSIDADEB
 

João Pedro Salgado, estudante de biologia da UFRJ, fotógrafo da natureza e criador do perfil Biodiversidade Brasileira, publicou fotos de uma onça almoçando uma capivara no Pantanal, em Mato Grosso do Sul. 

Foi um momento feliz e único para ele, mas um tornado de emoções na rede social — a ponto de ficar difícil distinguir o que era uma reação natural ou uma isca para atrair centenas de likes.

Foram mais de 10.000 retuítes, 63.000 curtidas e quase 2.000 respostas. Algumas chamaram bastante atenção, principalmente as que "cancelaram" o animal por caçar tão bem e matar outro. Outra classe de comentários questionou o próprio fotógrafo, que não ajudou a capivara.

O próprio João Pedro se manifestou depois, já em tom de brincadeira, questionando o "cancelamento". Ao mesmo tempo, surgiram os fãs da onça-pintada, que produziram montagens visuais que exaltaram a superioridade predatória do animal.

ECOSSISTEMA 

Caçadas do tipo são comuns e essenciais para o equilíbrio de ecossistemas naturais. Exatamente por isso, interferir em caçadas nunca é recomendado, a não ser sob orientação de especialistas.

Primeiramente, por existir um risco sério de sair ferido da empreitada. Em segundo lugar, interferir geralmente condena os dois animais — a presa quase sempre já está muito ferida para viver normalmente, e o predador gastou energia demais para conseguir caçar normalmente em um curto período de tempo.

Veja também:

Onça-pintada ataca jacaré na água, mas perde batalha

Vídeo: Homem é atacado por jacaré ao nadar em lago proibido

Além disso, estudos científicos demonstraram que a atividade humana já favorece as presas, por afastar predadores carnívoros de diversas áreas de caça.


Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)